Rali

Em disputa de bicampeões, Al-Attityah desbanca Sainz e vence primeira especial do Rali Dakar

A disputa foi bem apertada entre os dois ex-companheiros de equipe dos tempos de Volkswagen. Melhor para o catariano, que iniciou bem sua batalha pelo tricampeonato do maior rali do mundo. O atual campeão, Carlos Sainz, ficou 1min59s atrás do piloto da Toyota. O ‘Monsieur Dakar’, Stéphane Peterhansel, finalizou a especial em nono lugar. Nos caminhões, vitória de Eduard Nikolaev
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Nasser Al-Attiyah (Foto: Toyota Gazoo Racing)
1ª etapa – Lima – Pisco 
Trecho de especial: 84 km
Deslocamentos: 247 km
Trecho total: 331 km
 
A 41ª edição do Rali Dakar começou da melhor forma para Nasser Al-Attiyah. O bicampeão do maior rali do mundo venceu a primeira e mais curta especial da prova, de apenas 84 km, na tarde desta segunda-feira (7), entre Lima e Pisco, no Peru. Ao lado do navegador Mathieu Baumel, o catariano iniciou sua jornada para o tricampeonato ao vencer uma disputa apertada contra o atual campeão, Carlos Sainz. A bordo do Toyota Hilux de numeral #301, Nasser superou Sainz, que conta com Lucas Cruz como seu navegador, ao marcar 1h01min41s, 1min59s mais rápido em relação ao piloto da Mini, que acelera um modelo John Cooper Works Buggy da equipe alemã X-Raid.
 
A grande surpresa do primeiro dia de prova nos carros foi a presença de Jakub ‘Kuba’ Przygonski em terceiro lugar. O polonês também defende a Mini X-Raid, mas acelera um modelo diferente em relação a Sainz, Stéphane Peterhansel e Cyril Despres, tendo às mãos o All4 Racing 4 x 4. ‘Kuba’, que corre ao lado do copiloto belga Tim Colsoul, marcou 1h03min41s de trecho cronometrado, ficando a apenas 18s do tempo de Sainz e Cruz.
Nasser Al-Attiyah foi o mais rápido na primeira especial do Dakar 2019 nos carros (Foto: Toyota Gazoo Racing)
Em quarto lugar na especial, outra surpresa: a tripulação russa formada pelo piloto Vladimir Vasilyev e o navegador Konstantin Zhiltsov, a bordo de uma Toyota Hilux da G-Energy com operação da equipe Overdrive. A dupla, que andou boa parte do trecho cronometrado em terceiro lugar, comprovou o equilíbrio da especial, ficando somente 10s atrás do top-10.
 
O top-5 foi completado pelo Mini All4 Racing pilotado pelo experiente piloto saudita Yazeed Al Rajhi, que tem como seu navegador o alemão Timo Gottchsalk. A dupla conseguiu a façanha de superar dois fortes competidores e candidatíssimos ao título do Rali Dakar. Giniel de Villiers, sul-africano que foi campeão do Dakar há dez anos, completou a especial em sexto lugar com a Toyota, tendo ao seu lado o copiloto alemão Dirk Von Zitzewitz. 
 
E a maior lenda do Dakar, Stéphane Peterhansel, dono de nada menos que 13 títulos, teve um começo complicado de prova, mas conseguiu se recuperar com o Buggy da Mini, terminando em sétimo ao lado do seu navegador para o Dakar 2019, David Castera.
 
Bernhard Ten Brinke, holandês que também entra no Dakar 2019 como um dos favoritos depois da grande campanha feita no ano passado — foi o terceiro colocado durante a maior parte da prova até abandonar no penúltimo dia —, foi o oitavo colocado com o Toyota Hilux tripulado também pelo francês Xavier Panseri.
Carlos Sainz ficou a quase dois minutos do tempo de Nasser rumo a Pisco (Foto: Red Bull Content Pool)
A lista dos dez primeiros colocados da primeira especial foi completada pelo britânico Harry Hunt, piloto que guia um Peugeot 3008 de equipe privada tendo ao seu lado o navegador holandês Wouter Rosegaar, e Cyril Despres, um dos integrantes do ‘time dos sonhos’ da Mini, com o francês tendo como navegador o multicampeão do Dakar e parceiro de Peterhansel na maioria das conquistas, Jean-Paul Cottret, ficando a 4min25s do tempo do líder.
 
Outros grandes nomes do rali mundial ficaram logo atrás dos dez primeiros: Nani Roma, duas vezes campeão do Rali Dakar, ficou em 11º correndo com um Mini John Cooper Works ao lado do navegador Alex Haro Bravo. Orlando Terranova, forte competidor argentino e companheiro de equipe de Roma, ficou em 12º lugar ao lado do compatriota Bernardo Graue.
 
Só então, em 13º, finalizou Sébastien Loeb. O eneacampeão mundial do WRC faz sua última prova pela Peugeot — no Mundial de Rali, o francês vai defender a Hyundai a partir deste ano. Ao lado do inseparável navegador monegasco Daniel Elena, o francês de 44 anos, que volta a acelerar o 3008 DKR da equipe privada PH Sport, completou a primeira especial da prova em 13º lugar, com o tempo total de 1h07min48s, 6min07s atrás do vencedor do dia, Al-Attiyah.
O caminhão #500, de Eduard Nikolaev (Foto: Kamaz)
A lenda russa continua atacando
 
Dotado de um selo de lenda do Rali Dakar, Eduard Nikolaev completou a primeira especial do Rali Dakar 2019 na liderança entre os caminhões. O russo, que representa a Kamaz, completou o trecho entre Lima e Pisco em 1h09min05s.
 
Três membros da equipe De Rooy, dotada de caminhões Iveco, seguiram o russo. Ton van Genugten ficou 18s atrás, enquanto Federico Villagra também se aproximou: foram somente 53s de desvantagem. Outra lenda do Dakar, Gerard de Rooy, ficou no quarto posto, 1min44s atrás do líder. 
 
Mais uma briga entre Kamaz e Iveco se avizinha, visto que Dimitry Sotnikov, Andrey Marginov e Airat Mardeev, todos da marca russa, vieram na sequência.
 
O top-10 foi fechado por Ales Loprais - outro que carrega o selo de lenda do Rali Dakar, e tem equipamento da Tatra -, Aliaksei Vishneuski, com caminhão da Maz, e Martin Soltys, também com a Tartra.