Rali

Rali de Monte Carlo abre 2019 cheio de novidades no WRC. Tänak começa fim de semana na frente

A temporada que marca a volta de Sébastien Ogier à Citroën e a estreia do eneacampeão Sébastien Loeb pela Hyundai começou com dois protagonistas: Ott Tänak e Thierry Neuville, os vencedores das duas primeiras especiais nesta quinta-feira. O estoniano, um dos destaques de 2018 com a Toyota, lidera na classificação geral
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
O tradicional Rali de Monte Carlo abriu oficialmente, nesta noite de quinta-feira (24), a temporada 2019 do WRC, o Mundial de Rali. É um ano cheio de novidades na categoria, que tem novamente Sébastien Ogier como piloto da Citroën e o retorno do eneacampeão Sébastien Loeb em parte do campeonato defendendo a Hyundai. Mas o grande nome deste primeiro dia de trabalho no Principado foi Ott Tänak, um dos maiores destaques do ano passado. O estoniano venceu a primeira especial e, após dois estágios já disputados, lidera a classificação geral, colocando a Toyota na ponta.
 
Para a marca japonesa, atual detentora do título do Mundial entre as equipes, trata-se de ótimo começo de temporada não apenas no WRC, mas no rali como um todo, considerando a primeira vitória no Rali Dakar, que foi obtida por Nasser Al-Attiyah e Matthieu Baumel há exatamente uma semana no Peru.
 
Com duas especiais realizadas, Tänak lidera com 9s1 de vantagem para Ogier, enquanto Thierry Neuville, piloto da Hyundai, fecha o top-3 provisório formado exatamente pelos três protagonistas da temporada passada.
Ott Tänak lidera o Rali de Monte Carlo após as primeiras especiais (Foto: Twitter)
O estoniano, que guia o Toyota Yaris, salientou a importância da escolha correta dos pneus por conta de um piso bastante complicado predominado por neve e gelo. “Imagino que tudo neste rali é uma surpresa e é difícil esperar algo. Sabíamos que a partida seria complicada e fizemos uma escolha segura de pneus para cobrir as duas especiais. Alguns lugares estavam ainda mais escorregadios e complicados do que esperávamos”.
 
Hexacampeão mundial, Ogier fez uma escolha mais conservadora de pneus na volta à marca francesa, levando o novo C3 à segunda colocação. Neuville, ao contrário, arriscou com uma mescla de pneus com e sem travas na primeira especial. Na segunda, optou por quatro pneus supermacios, escolha que foi determinante para vencer a etapa.
 
“Talvez tivesse sido um pouco arriscado tomar essa decisão. Mas, com a informação oque tinha, me pareceu uma boa decisão. Mas não foi suficiente, esperava recuperar mais na segunda especial”, comentou o belga. 
 
Esapekka Lappi, finlandês que também faz sua estreia com a Citroën, terminou na quarta posição, à frente do Toyota Yaris de outro finlandês, Jari-Matti Latvala, e Elfyn Evans. O galês, que substitui Ogier ao volante do Ford Fiesta da equipe M-Sport, foi o mais rápido dentre os pilotos de equipe privada, ficando logo à frente do norte-irlandês Kris Meeke. A bordo do Toyota Yaris #5, o veterano de 39 anos fez sua estreia pela marca japonesa e começou bem, ficando em segundo no primeiro estágio. 
Sébastien Loeb fez sua estreia pela Hyundai (Foto: Hyundai Motorsport)
Contudo, Meeke enfrentou um furo no pneu dianteiro direito a 9 km da segunda especial e perdeu 45s, caindo assim para sétimo na classificação geral, ficando logo à frente de Loeb. Andreas Mikkelsen e Pontus Tidemand fecham a lista dos dez primeiros.
 
A sexta-feira do Rali de Monte Carlo compreende a disputa de seis especiais. No sábado, o cronograma da prova prevê mais quatro estágios, assim como no domingo, incluindo o Power Stage, etapa que distribui pontos extras para os primeiros colocados.