Dupla brasileira festeja meta cumprida em rali na África do Sul: “Ganhamos do Alonso”

A dupla formada pelos brasileiros Marcos Baumgart e o navegador Kleber Cincea finalizou o fim de semana de disputa da Lichtenburg 400, prova válida pelo Campeonato Sul-Africano de Rali, em quarto lugar na classe T e em oitavo no geral. Em sua estreia nos ralis, Fernando Alonso enfrentou todo o tipo de desafios, até capotou seu Toyota Hilux e terminou em 16º ao lado do copiloto Marc Coma

Talvez fosse algo inimaginável até semanas atrás, mas Marcos Baumgart e Kleber Cincea, dupla brasileira com histórico vencedor no Rali dos Sertões, não apenas competiram contra, mas venceram Fernando Alonso em uma prova de cross-country. O feito aconteceu no último fim de semana na África do Sul, quando foi disputada a Lichtenburg 400, prova de 433 km de extensão válida pelo campeonato local e que marcou a estreia oficial do bicampeão mundial de F1 nos ralis. 
 
A bordo de um Ford Ranger, Baumgart e Cincea terminaram a prova em quarto lugar na classe T e em oitavo na classificação geral. Enquanto Alonso, ao lado do seu copiloto, o lendário pentacampeão do Dakar, Marc Coma, finalizou em 16º depois de enfrentar toda sorte de desafios e até ter chegado a capotar sua Hilux, porém sem maiores consequências
 
Para os brasileiros, além do bom resultado obtido ao lado da NWM Motorsports, equipe parceira da brasileira X Rally Team, ficou o doce sabor de ter deixado para trás um dos pilotos mais importantes do esporte a motor nos últimos tempos.
Marcos Baumgart e Kleber Cincea superaram Fernando Alonso na África do Sul (Foto: Colin Mileman/Mileman Media)

“Não dá para negar que, além de ajudar a equipe, o nosso objetivo particular era chegar na frente dele. E chegamos”, comemorou o piloto. 

 
“Um rali bem difícil, em que os navegadores também trabalharam muito. Para nós e para a equipe foi um excelente resultado. E ganhamos do Alonso”, completou Cincea. 
 
A dupla, bicampeã brasileira de rali cross-country, viu a coroação dos companheiros de equipe na África do Sul, Lance Woolridge e Ward Huxtable, garantirem o título sul-africano na classe T. Na classificação geral, o triunfo da Lichtenburg 400 ficou com a dupla formada por Giniel de Villiers e Dennis Murphy, a bordo de uma Toyota Hilux. De Villiers, campeão do Dakar em 2009 com a Volkswagen, vem atuando como uma espécie de mentor de Fernando Alonso neste processo de incursão do espanhol no mundo dos ralis.
 
Marcos Baumgart, por sua vez, comemorou a performance da dupla e almeja voltar para fechar a temporada de ralis na África do Sul no fim do ano. “É ótimo competir no campeonato da África do Sul porque o grid é muito forte, muito competitivo e as rotas são desafiadoras. A prova do fim de semana foi muito rápida, e a gente curtiu muito. A equipe nos deu um carro excelente e esperamos voltar para a etapa final em novembro”, completou.
 
Alonso, logo que encerrou sua participação na África do Sul, embarcou rumo a Doha, no Catar, para aprender mais algumas nuances do rali. Desta vez, tendo outro tutor: o tricampeão do Dakar, Nasser Al-Attiyah. A bordo de um UTV, Fernando se divertiu ao lado de Nasser pelas dunas em pleno deserto.
 
O bicampeão mundial de F1 já tem marcado seu próximo desafio no rali. Desta vez, uma prova bem mais exigente que costuma ser uma espécie de prévia do Dakar. O Rali do Marrocos vai ser disputado entre 3 e 9 de outubro, com largada e chegada em Fez. Ao todo, vão ser 2.516 km de percurso total, sendo 1.868 km de trecho cronometrado. Um desafio bem mais exigente que os dois dias da jornada na África do Sul no último fim de semana.

Paddockast #33
10 ANOS DE SECA BRASILEIRA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar