Apesar de vantagem, Serra vê busca pelo tri em Interlagos “ainda difícil”

Daniel Serra abriu ainda mais vantagem na disputa pelo título após a etapa de Goiânia: com a punição a Ricardo Maurício, está 29 pontos acima do vice, Thiago Camilo. Mas, com a pontuação dobrada na decisão, ele ainda vê dificuldades para a conquista

A liderança da Stock Car com a categoria chegando à decisão em Interlagos está na mão do mesmo piloto com quem ela acabou nas duas últimas edições: Daniel Serra.
 
O atual bicampeão vai para São Paulo com 29 pontos de vantagem sobre Thiago Camilo – a distância era para ser menor, já que Ricardo Maurício foi desclassificado da corrida 2 em Goiânia, no último domingo (24), e perdeu os 24 pontos da vitória. Caso recupere na justiça, a vantagem será de 18 para Serra sobre o companheiro de RC Eurofarma.
Daniel Serra (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Paddockast # 43
QUAL FOI O MELHOR GP DO BRASIL QUE VOCÊ ASSISTIU?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Mesmo assim, para Serra a dificuldade segue existindo. Após terminar em quarto e em 10 nas corridas goianas, ele crê que conquistar o tri em Interlagos ainda é uma missão complicada.
 
“Todo mundo tem falado “Daniel e Thiago” mas o segundo é o Ricardinho, que é muito rápido, inteligente, nada está perdido para ele. Sem dúvida foi um momento bom de colocar mais vantagem para o Thiago, já que temos seis pilotos matematicamente com chances, mas tem pontuação dobrada, então segue difícil. Enfim, melhor chegar 18 à frente do que 18 atrás”, comentou ao GRANDE PRÊMIO, antes da punição a Maurício ser anunciada.
 
O “momento de colocar mais vantagem” sobre Camilo a que Serra se referiu foram as duas ultrapassagens feitas sobre o adversário, uma em cada corrida. Serra vai para a decisão com 335 pontos, contra 306 de Camilo e 292 de Maurício – caso a punição seja mantida. Rubens Barichello, Felipe Fraga e Júlio Campos seguem com chances devido a citada pontuação dobrada em Interlagos – a vitória valerá 60.
 
Em seguida, ele valorizou a estratégia da RC Eurofarma, que o coloca na ponta mesmo com apenas uma vitória no ano: “Tenho que dar parabéns para a equipe também, que se tornou campeã por equipes hoje.”
 
“O ritmo da minha corrida era muito bom, acho que mostra que evoluímos muitos nas últimas corridas. Infelizmente na corrida 2 deu algum negócio na largada em que fiquei muito, caí lá para trás, tinha tudo planejado para uma boa corrida. A gente não conseguiu acreditar que terminamos em quarto com tudo que aconteceu. Mas aí a corrida 2 não deu certo. Tudo bem, esse é o jogo”, concluiu.
 
A decisão em Interlagos ocorre no dia 15 de dezembro, com corrida única, mas de pontuação dobrada, e terá cobertura completa do GRANDE PRÊMIO ‘in loco’.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube