‘Atletiba’ e visitação dos fãs: chefe da Stock Car justifica conflito de horário entre corrida 2 em Curitiba e F1

Fato raro nos últimos anos, a Stock Car vai correr no mesmo horário do Mundial de F1 neste domingo (8), em Curitiba. A largada da segunda prova do fim de semana em Curitiba vai acontecer cinco minutos antes do início do GP do Bahrein. Rodrigo Mathias, chefe da principal categoria do automobilismo, entende que uma série de razões tornaram o conflito inevitável, mas acredita que a emoção do certame pode fazer o fã mudar de canal

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Há exatos dez dias, a Stock Car anunciou a grade de programação para a rodada dupla de Curitiba, a segunda da temporada 2018. O que chamou a atenção foram os horários das duas corridas deste domingo (8). Diferente do costume recente da principal categoria do automobilismo nacional de realizar as disputas durante a tarde, a primeira prova foi marcada para 11h (horário de Brasília), enquanto a segunda largada foi agendada para 12h05. O desfecho da rodada dupla tem largada cinco minutos antes do início do GP do Bahrein de F1.

 
Em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO em Curitiba, Rodrigo Mathias, chefe da Stock Car, ressaltou alguns pontos que tornaram o conflito de horários inevitável neste domingo. Um deles é a finalíssima do Campeonato Paranaense entre Atlético e Coritiba, que está marcada para 16h. Outro ponto foi privilegiar os fãs que lotam a visitação nos boxes e evitar que o evento marcado antes das corridas fosse realizado muito cedo.
 
A rodada dupla de Curitiba da Stock Car tem transmissão ao vivo pelo canal por assinatura SporTV 3. A F1 larga às 12h10 e terá exibição da Rede Globo. E também nesta tarde, neste fim de semana cheio no esporte a motor, a MotoGP larga às 15h para a disputa do GP da Argentina, transmitido pelo SporTV 2.
Rodrigo Mathias explicou as razões do conflito de horários entre Stock Car e a F1 neste domingo (Foto: Duda Bairros/Vicar)
“A gente tem um olhar ampliado não só sobre grade televisiva, mas também relevância de conteúdo. A gente está conflitando com a última rodada dos campeonatos estaduais, e aqui estão disputando Atlético Paranaense e Coritiba. Ou seja, certamente isso tem um impacto de público, um impacto de visibilidade. Não dá para querer correr em um horário perto do jogo, não dá para concorrer com o futebol. Então esse foi um ponto a ser avaliado a respeito do horário”, pontou o executivo, diretor-geral da Vicar. 
 
“Outros pontos foram os conflitos com outros conteúdos de motorsport, como a MotoGP e a F1. E aí, nós entendemos que o ideal era largar às 11h. Isso nos permite ter uma experiência adequada com o público a respeito de visitação. A gente costuma fazer a visitação antes da corrida, e [se antecipássemos a corrida], aí ficaria bem cedo para eles. Então, o nosso entendimento é que [a visitação] antes das 11h seria importante para os fãs no autódromo”, destacou.
Os fãs lotaram os boxes de Curitiba neste domingo com a visitação (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
A visitação é um dos pontos altos do fim de semana porque traz os fãs para perto dos pilotos. Rubens Barrichello, por exemplo, é um dos mais procurados. Neste tempo, competidores e o público interagem em distribuição de brindes, fotos, autógrafos e também com sessões de volta rápida na pista antes das corridas.
 
Mathias entende que não houve alternativa para evitar o conflito de horários. Assim, ele foi amenizado de modo a impactar somente a corrida 2, que tem o grid invertido em relação aos dez primeiros da prova inaugural e distribui menos pontos.
 
“E quanto ao conflito com a F1, que larga às 12h10, e a MotoGP, que larga às 15h, pode-se ver que estaríamos disputando com dois conteúdos muito relevantes. Se você reparar, colocamos a largada da corrida 2 cinco minutos antes da largada da F1”, explicou. Ainda assim, Rodrigo aposta que a alta competitividade da Stock Car pode cativar o público e fazê-lo dividir as atenções por algum tempo com a F1. 
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“O fã acompanha a largada, que é um dos momentos mais emocionantes da corrida, e aí, se a prova estiver emocionante, ele fica. Então foi uma estratégia de não conflitar a corrida 1 com nenhum outro evento de motorsport, e a corrida 2 ele fica zapeando, mudando de canal… e quem sabe ele não fica na Stock?”, completou o chefão da Stock Car.

 
O GRANDE PRÊMIO acompanha ‘in loco’ o fim de semana da etapa de Curitiba da Stock Car, Stock Light e Brasileiro de Marcas com os repórteres Felipe Noronha e Fernando Silva.
CEDO DEMAIS?

ALONSO ENTRA NO ‘MODO EMPOLGOU’ ANTES DO TEMPO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube