Campos sobe para 3°, mas sai de Campo Grande com gosto “amargo, amargo…”

Júlio Campos foi segundo na primeira corrida em Campo Grande, e ao final da etapa ainda subiu de posição no campeonato. Mas o que ficou para o piloto da Prati Donaduzzi foi o gosto amargo por não ter conseguido ultrapassar Thiago Camilo na hora decisiva pela vitória

O final de semana de Júlio Campos em no Mato Grosso do Sul parecia ter sido quase perfeito: um segundo lugar na corrida principal, e mais pontos somados na seguinte, que resultaram em subida na classificação – agora é terceiro. Mas na visão do #4, não foi bem assim.

Ao GRANDE PRÊMIO, ele explicou que ficou com um sabor não tão doce na boca ao final da etapa – pois sentiu que poderia ter sido ainda melhor. Ele diminuiu a vantagem de Daniel Serra, líder da temporada, para 21 pontos, mas havia afirmado ao GP no sábado (10) que o plano era  apertar um pouco mais o ponteiro da tabela.

“Final de semana em que você acaba fazendo quase tudo muito perfeito, mas tive um errinho na última volta – quando a ultrapassagem estava certa. Eu fiz a volta perfeita atrás dele (Thiago Camilo). Amargo, amargo, amargo, amargo…”, comentou Campos, em relação à chance que teve para vencer a corrida 1, na qual ficou a apenas 0s2 de Camilo, o vencedor.

“Na segunda corrida ainda marcamos alguns pontinhos, o que é sempre importante, mas aqueles quatro pontos perdidos na corrida 1 foram cruciais para o final de semana. E a vitória, já que eu e equipe trabalhamos muito, acertamos e erramos juntos. Eu precisava da curva perfeita, estava muito perto, cheguei lado a lado, passaria com certeza se não fosse o errinho. Gosto amargo”, completou.

Júlio Campos (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Paddockast #28
INTERROGANDO Flavio Gomes: O Boto do Reno

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Já sobre a classificação, tentou ver de forma positiva a aproximação, mas lamentou o problema que teve no carro na segunda corrida, que lhe impediu de brigar por melhor posição.

“Chegamos um pouquinho mais no Daniel, mas dava para ter feito mais uns seis pontos. Tive muitos problemas de temperatura na segunda corrida, eu precisava tirar o pé quando estava muito perto de alguém, o carro entrava em modo de segurança. Então realmente fiquei comboiando o grupo da frente, não conseguia chegar mais perto.”

“Mas isso é Campo Grande, uma sujeira absurda na pista, vi alguns outros carros também andando devagar na reta, também com certeza estavam em modo de segurança”, finalizou.

Campos foi a 169 pontos, contra 190 de Serra. Entre eles há Ricardo Maurício, com 175. Logo atrás, Rubens Barrichello tem 168 e Camilo, 166.

A sétima etapa da Stock Car em 2019 está marcada para o dia 25 de agosto. Será a famosa Corrida do Milhão, que terá Interlagos como palco. O GRANDE PRÊMIO cobre tudo ‘in loco’ com os repórteres Felipe Noronha e Pedro Henrique Marum. Siga tudo aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube