“Coisas fluem bem” e Abreu é melhor da Shell nos treinos livres da Stock Car em Interlagos

O quarteto da Shell teve uma sexta-feira variada em São Paulo: sob chuva, Átila Abreu e Gaetano Di Mauro se destacaram, mas Galid Osman e Ricardo Zonta sofreram

Átila Abreu obteve o melhor resultado entre os pilotos da Shell nesta sexta-feira (21) de treinos livres da Stock Car em Interlagos. Ele foi quarto colocado na segunda sessão, com 1min47s363, a 0s337 do líder do dia, Cesar Ramos.

Por isso, o #51 comentou de forma positiva o seu tempo de pista molhada em São Paulo, em dia de preparação para a etapa de sábado, além da Corrida do Milhão, no domingo: “Foi um dia proveitoso, as coisas fluíram bem. Não tive nenhum problema mecânico no carro, nada, então deu para testar bastante coisa.”

“Melhoramos um pouco o carro, queríamos testar algumas coisas que evoluíram, mas me parece unânime na equipe (Crown Racing) entre os quatro carros, que todos têm a mesma reação. Então, vamos ver o que conseguimos colher de informações para tentar diminuir essa tendência de sair de traseira. Pilotando dá para saber onde está o tempo, então se diminuirmos essa tendência, vamos estar bem competitivos amanhã.”

“Vamos ver a previsão do tempo, é uma incógnita. Parece que chove de madrugada mas depois não chove mais, enfim, é uma condição adversa. Temos de esperar amanhã tomada, porque se estiver seco, será novidade para todos. No molhado, temos um carro bem equilibrado para avançar ao Q2 e talvez brigar pelas primeiras posições!, completou o sorocabano.

Átila Abreu, Shell, Stock Car, Interlagos (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Átila Abreu levanta água na pista de Interlagos (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Gaetano Di Mauro foi outro da Shell a alcançar o top-10 no segundo treino livre. Para o piloto da Vogel, a dificuldade em entender o novo carro é superada a cada ida para a pista, em que ele enxerga evolução.

“Estou ficando cada vez mais entrosado com a equipe, e isso ajuda muito. Não consegui correr em Goiânia e fiquei um pouco para trás nesse sentido. Agora estamos buscando o máximo de acerto e ajustes finais, parece que o carro tem uma boa linha de evolução, então vamos trabalhar e buscar mais”, comentou.

Gaetano Di Mauro faz curva na chuvosa Interlagos (Foto: José Mário Dias/Shell)

Já Ricardo Zonta, que abriu a temporada com vitória em Goiânia, não teve um bom dia, ficando em 18° nas duas sessões. Segundo o paranaense, a questão é entender o carro na disputa em condições de chuva.

“Foi um treino de desenvolvimento para o molhado. Nunca tínhamos andado com o carro no molhado e estou sentindo muitas dificuldades em acertá-lo. O carro é mais agressivo na freadas, como contorno é mais difícil para gerar temperatura nos pneus e aderência lateral. Estamos tentando adaptar várias coisas no acerto para ter uma boa aderência. Até agora não estou contente com o desempenho.”

Ricardo Zonta na reta de Interlagos (Foto: José Mário Dias/Shell)

Por fim, Galid Osman não foi bem, com apenas o 21° tempo, e viu o dia como difícil, mas sem perder a esperança de bons resultados na rodada dupla.

“O carro teve dificuldades nas freadas e curvas de alta velocidade. O que dá esperança é que os outros carros da equipe baixaram mais de um segundo e meio quando colocaram o pneu novo, que foi o que eu tomei. Amanhã vai ser uma loteria. Espero que o meu grupo, que é o primeiro, não seja prejudicado porque é provável que entremos numa pista molhada que esteja secando. Se isso acontecer, vai ser muito ruim, mas vamos confiantes para amanhã e classificar bem”, concluiu Osman.

O carro de Galid Osman passeia em Interlagos (Foto: José Mário Dias/Shell)

A classificação para a corrida de sábado começa às 9h. Já a primeira prova do final de semana tem início às 11h. O GRANDE PRÊMIO faz cobertura completa das duas etapas da Stock Car em Interlagos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar