Stock Car

Com espírito de grupo e até churrasco semanal, Jimenez vê “evolução feroz” da Squadra G-Force

Sergio Jimenez reedita em 2018 uma parceria que deu muito certo há três anos, quando teve Guilherme Ferro como chefe na antiga C2 Team. Nesta temporada, o experiente piloto de 34 anos é o pilar de experiência dentro das pistas para ajudar a caçula Squadra G-Force a figurar entre as melhores da Stock Car. E Jimenez manda avisar: “A gente ainda vai incomodar muito”
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Santa Cruz do Sul
 Sergio Jimenes (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)

Sergio Jimenez vive um ‘começar de novo’ nesta temporada 2018 da Stock Car. O piloto de Piedade é, aos 34 anos, a referência em termos de experiência da equipe caçula do grid da principal categoria do automobilismo brasileiro. A Squadra G-Force nasceu em janeiro deste ano com o objetivo de evoluir rapidamente para tornar-se competitiva e brigar por grandes resultados já no seu campeonato de estreia. Pouco a pouco, de fato o time vai evoluindo. Jimenez reedita uma união que deu muito certo em 2015, quando teve como chefe de equipe o engenheiro Guilherme Ferro. Juntos, na C2, tiveram a chance de comemorar uma das duas vitórias obtidas por Jimenez na Stock Car, em Curitiba.
 
Nesta primeira temporada da equipe, que tinha sede em Curitiba, mas que se mudou para São Paulo durante as férias da Stock Car para a Copa do Mundo, os resultados apareceram de forma gradativa. Logo na terceira etapa, no Velopark, Jimenez conquistou um lugar no Q2 do caótico treino classificatório em Nova Santa Rita e ficou perto dos pontos. Pontos que vieram duas semanas depois na esteira de um desempenho bastante forte em Londrina, onde terminou no top-3 um dos treinos livres e foi oitavo colocado na corrida 2.
 
O time, que também conta com o jovem Guga Lima como piloto, vai crescendo à base de muito trabalho, espírito de grupo e humildade, ressaltou Jimenez em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO nos boxes da Squadra G-Force durante o gelado fim de semana da etapa de Santa Cruz do Sul, onde Sergio marcou pontos ao terminar a corrida 1 em 11º. Ao todo, o piloto de Piedade, interior de São Paulo, soma dez pontos em oito corridas e está em 23º no campeonato.
Sergio Jimenez tem pela frente o objetivo de ajudar a tornar a Squadra G-Force uma potência da Stock Car (Foto: Rafael Gagliano)
“A gente vem crescendo e evoluindo muito. De Interlagos para cá, é outra equipe, com tudo funcionando melhor, todo mundo se encaixando melhor. Na verdade, é um grupo de pessoas boas, o que falta ainda é o entrosamento. Mas está cada dia melhor. A parte da engenharia, também... o Guilherme e eu estamos criando alguns controles — algo que gostaríamos já de ter criado antes, mas algumas coisas acabam passando na frente —, sobre como deixar o carro em ordem mecanicamente, trocar, não deixar faltar nada...”, explicou o piloto, que corre com o #55 nesta temporada.
 
“Então, agora que o carro está ‘assentando’, já estamos conseguindo ter alguns detalhes a tirar, olhar, verificar, tirar realmente o ‘fino’ e dar mais um salto. Então a gente tem conseguido fazer isso junto com os mecânicos e com os meninos aqui da engenharia, e assim estamos conseguindo pensar mais nos detalhes. Porque, aqui na Stock Car, é isso que faz toda a diferença. Em Londrina, por exemplo, por 0s4, 0s5, poderíamos estar no Q2, e aí poderia ter sido uma outra corrida. Então é isso o que estamos buscando agora. Sabemos que, se a gente acertar isso, então vamos estar brigando pela ponta”, explicou Sergio, que faz sua sexta temporada na Stock Car.
 
Jimenez ressaltou que o processo de construção de uma equipe que, ainda que tenha integrantes com experiência no automobilismo, é sempre uma tarefa das mais árduas e que exige muito espírito de grupo para que o desafio seja cumprido com sucesso e também com um sorrido no rosto.
 
“A equipe começou agora, em janeiro, demos o ‘start’ no dia 5, foi todo mundo para a oficina. E tivemos uma reunião bacana. E todo mundo se engajou no nosso slogan, que é gradatim ferociter, evoluir gradativamente, porém ferozmente, sem deixar nada passar, com muito foco e também muita humildade. Se errar, também, ver aonde errou, quem errou, e vamos corrigir. Estamos fazendo isso e vem dando certo”, disse.
A Squadra G-Force faz em 2018 sua temporada de estreia no grid da Stock Car (Foto: Rafael Gagliano/MS2)
Sergio lembrou que o período providencial de dois meses e meio de pausa vem servindo para ajudar a estruturar melhor a mais nova equipe do grid da Stock Car.
 
“Nesse tempo vamos mudar de local, mudando de Curitiba para São Paulo de forma definitiva. Então essa parada é positiva porque nos dá tranquilidade. Para mim, vai acabar também facilitando um pouco mais porque vou estar mais ativo na equipe. E isso é bom, gosto de estar participando de tudo, como vem sendo. E o clima dentro da equipe é muito gostoso, com todo mundo trabalhando bem, trabalhando feliz. A gente sabe que não é só vir, apertar o parafuso e ir embora, mas vir, curtir, fazer o trabalho, se divertir, estar feliz”, comentou.
 
E para estar feliz, muito além de simplesmente fazer parte do time, Jimenez ressalta a importância de que todos se sintam parte fundamental desse processo. Para isso, a integração entre todos para reforçar o espírito de união é fundamental.
 
“Claro que é um trabalho, mas é estar bem, ir embora contente. Então toda quinta-feira a gente faz um churrasco pra galera, para os mecânicos. E isso tudo fortalece muito a equipe. E eu não ganho sozinho, dependo de todo mundo, do pessoal fazer um acerto legal, o balanço correto, para encaixar uma volta... tem um monte de coisa para chegar lá na frente. Então digo que a gente ainda vai incomodar muito”, concluiu Sergio Jimenez, esperançoso e otimista com o futuro que está sendo construído com a Squadra G-Force.
 
A Stock Car retoma a temporada no dia 5 de agosto com a disputa da Corrida do Milhão em Goiânia. O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a temporada 2018. Siga tudo aqui.