Delator da Lava Jato revela lavagem de dinheiro através de patrocínios em equipes da Stock Car

Um esquema ilícito colocou a Stock Car na mira da Operação Lava Jato. Delatores afirmam que equipes da categoria receberam valores superfaturados de patrocinadores. O dinheiro excedente seria revertido em pagamento de propina na Petrobras

A Stock Car volta a se ver no olho de um furacão. De acordo com delatores da Operação Lava Jato, patrocinadores se utilizaram da categoria para lavar dinheiro. O montante, por sua vez, tinha como destino o pagamento de propinas dentro da Petrobras. A informação foi revelada pelo jornal Folha de S. Paulo.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);


O grupo de delatores, cujas identidades não foram reveladas, afirma que mais de uma equipe da Stock Car fez parte do esquema. A construtora UTC, por exemplo, estampou sua marca nos carros da equipe Vogel mediante pagamento de R$ 4 milhões. O valor destoa da média dos patrocínios da Stock Car. De acordo com Amir Somoggi, especialista em marketing esportivo, o valor seria muito mais adequado para grandes jogadores de futebol.
A Stock Car entrou na mira da Lava Jato (Foto: Duda Bairros)
O sistema de lavagem tinha como base o superfaturamento dos valores de patrocínio da Stock Car, determinados pela empresa Rock Star – comandada por Adir Assad, empresário já condenado na operação. O excedente cobrado pela companhia era informalmente devolvido aos patrocinadores. O capital ‘camuflado’, assim, passava a ser propina paga para diretores da Petrobras.
 
O esquema tinha a mesma força nas categorias menores que acompanham a Stock Car. Na finada Copa Montana, onde a equipe J. Star de Assad competia, R$ 3,5 milhões foram recebidos através do esquema de patrocínio.
 
A Stock Car se defendeu, afirmando não ter envolvimento com os laços desenvolvidos pelas equipes com seus patrocinadores.

Trata-se de mais um episódio negativo para a imagem da Stock Car. Em junho, o piloto Lucas Foresti foi visto dirigindo a 223 km/h em Goiás, sendo multado. O próprio Foresti, ao lado de Raphael Matos, também foi flagrado em um exame antidoping no fim da temporada 2015.

PADDOCK GP #38 VAI A PIRACICABA PARA LANÇAMENTO DA F-INTER

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube