Ministério do Turismo pede que Ribeirão Preto devolva R$ 2,2 mi referentes a provas da Stock Car

Segundo reportagem do jornal ‘O Globo’, a prefeitura de Ribeirão Preto e a Confederação Brasileira de Automobilismo devem R$ 2,2 milhões ao Ministério do Turismo referente às corridas da Stock Car no interior de São Paulo

A prestação de contas feita pela prefeitura de Ribeirão Preto ao Ministério do Turismo referente à realização das provas da Stock Car na cidade foi reprovada. Como resultado, a administração municipal deve devolver um total de R$ 2,2 milhões ao Governo Federal.

Para levar a categoria ao interior paulista, a prefeitura firmou um convênio de patrocínio com o Ministério do Turismo no valor de R$ 7 milhões. O passo seguinte foi a assinatura de outro convênio, da prefeitura com a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), assegurando cinco corridas da Stock Car a Ribeirão – a quinta está marcada para 1º de junho de 2014.

De acordo com reportagem do jornal carioca ‘O Globo’, a reprovação das contas tem relação com as denúncias feitas por Dione Rodrigues de Souza, ex-vice-presidente da CBA, à Procuradoria-Geral da República.

Ribeirão Preto recebe a Stock Car desde 2010 (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)

Dione acusa a entidade de desvio de dinheiro e de fazer pagamentos mensais camuflados a diretores, por meio da contratação de empresas dos mesmos. Pelo estatuto da CBA, os membros da diretoria não podem ser remunerados.

Em contato telefônico com a reportagem do GRANDE PRÊMIO na manhã deste sábado (18), o presidente da CBA, Cleyton Pinteiro, se mostrou tranquilo com relação ao tema. “Os presidentes das comissões não são diretores da CBA, não fazem parte da diretoria, e ninguém trabalha de graça, concorda comigo?”, questionou.

De fato, o estatuto da confederação faz a diferenciação entre diretoria e comissões – de kart, asfalto, rali e autódromos, dentre outras.

Cleyton Pinteiro disse que a CBA não tem relação com o Ministério do Turismo (Foto: Divulgação)

Pinteiro declarou que a devolução do dinheiro ao Ministério do Turismo não passará pela CBA. “É muito simples: a CBA não tem convênio com o ministério. Ela tem um convênio com a prefeitura para fazer cinco corridas em Ribeirão Preto. Já foram quatro, e vamos fazer a quinta neste ano. Quem fez o convênio com o ministério foi a prefeitura de Ribeirão Preto. A CBA não tem interferência nenhuma nisso”, disse. “Eu não tenho que prestar contas ao ministério, até porque eu não peguei dinheiro do minstério.”

Ainda de acordo com Pinteiro, o dinheiro recebido pelo convênio com a prefeitura foi repassado para a Vicar, promotora da Stock Car, para a realização dos eventos.

Em nota, a prefeita Darcy Vera (PSD-SP) afirmou que sua administração fará a devolução do dinheiro ao Ministério do Turismo porque não quer que este assunto interfira em outros acordos entre a cidade e o Governo Federal. “A prefeitura optou por acertar com o Ministério a devolução dos R$ 2 milhões em 24 parcelas mensais. A decisão foi tomada por conta de que o município possui outros convênios com o Governo Federal, no valor de R$ 387 milhões em obras de mobilidade, e preferiu não ficar com pendências em discussão em função de valores menores”, diz o texto.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube