Stock Car

Ministério Público inclui CBA e Vicar em ação de improbidade por etapa da Stock Car em Ribeirão Preto

Por conta de irregularidades na captação de recursos para provas da Stock Car em Ribeirão Preto, MP incluiu entidade e promotora na ação civil pública de improbidade. As informações são de Americo Teixeira Jr., do Diário Motorsport e parceiro do GRANDE PRÊMIO

Grande Prêmio / AMÉRICO TEIXEIRA JR., de Vinhedo
Realizada no dia 6 de junho de 2010, a primeira etapa da Stock Car em Ribeirão Preto deixou um rastro de problemas para a ex-prefeita Dárcy Vera, Confederação Brasileira de Automobilismo e Vicar Promoções Esportivas. O Ministério Público do Estado de São Paulo, Promotoria de Justiça de Ribeirão Preto, propôs ação civil pública de improbidade administrativa e, ainda, a indisponibilidade de R$ 1 milhão de cada parte para ressarcimento dos cofres públicos. Para evitar bloqueio das respectivas contas, a CBA ofereceu como garantia a sede da entidade, localizada na cidade do Rio de Janeiro, e a Vicar juntou aos autos um seguro fiança. A ação corre no Fórum de Ribeirão Preto e o processo tem o número 1042927-71.2018.8.26.0506.

Assinada pelo promotor Sebastião Sérgio da Silveira em 12 de dezembro de 2018, a contestação se deu porque o Ministério Público (MP) não reconheceu como correta a tramitação dos recursos federais que permitiram as etapas da Stock Car na cidade. Agora sob a alçada do juiz Reginaldo Siqueira, da 1ª Vara da Fazenda Pública, a entidade desportiva e a empresa promotora já apresentaram suas defesas e não há data marcada para o julgamento. Na verdade, nem se sabe se haverá julgamento, pois a fase atual é preliminar, não tendo sido ainda acatada ou arquivada a denúncia.
 
Na época, a CBA era presidida por Cleyton Pinteiro. Já a Vicar tinha sua presidência ocupada por Carlos Col e Maurício Slaviero respondia pelo posto de diretor geral.

Confira a reportagem completa no DIÁRIO MOTORSPORT.