Pneus desempenham papel decisivo em pole “memorável” de Barrichello. Mas história pode ser diferente no domingo

Ao longo do fim de semana, o que mais se ouviu dos pilotos em Santa Cruz do Sul foi a importância sobre o desgaste dos pneus no asfalto abrasivo do circuito gaúcho. Na tarde deste sábado, levou a melhor justamente quem encontrou a melhor janela de funcionamento dos pneus. Mas a longa duração das duas corridas pode proporcionar surpresas

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O sábado (20) foi de festa para Rubens Barrichello em Santa Cruz do Sul. Foi a primeira pole do campeão da Stock Car em 2014 neste novo formato de treino classificatório, com os seis melhores indo à pista na fase final da sessão para uma volta lançada por vez. Rubens, que foi o quinto e penúltimo a fazer sua tentativa, encaixou uma volta praticamente perfeita, como mostra a tabela de tempos: seu 1min20s189 foi 0s277 melhor que a marca estabelecida pelo segundo no grid e último a ir à pista, Marcos Gomes. Trata-se de uma diferença que pode ser considerada uma enormidade em uma Stock Car sempre tão parelha entre os ponteiros.

 
A chave para Barrichello garantir a pole foi ter encontrado o melhor funcionamento dos pneus. Aliás, este é o assunto que predominou no fim de semana até agora em Santa Cruz do Sul. O asfalto do circuito é bastante abrasivo e proporciona um grande desgaste. O cenário torna-se ainda mais difícil em razão da mudança na duração das corridas, com as duas tendo 40 minutos e mais uma volta.
 
Assim, cada piloto já começa a pensar em uma estratégia específica para domingo. Vai depender, obviamente, do que cada um puder fazer ao longo da primeira corrida, a que distribui mais pontos. 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Rubens Barrichello e a festa pela pole neste sábado na Stock Car. Mas tudo pode ser diferente no domingo (Foto: Fábio Davini/Vicar)
Antonio Pizzonia, que nem fez a classificação porque sabia que vai largar de qualquer maneira na última posição — punido pelo acidente que envolveu também Lucas Foresti no Velopark —, abriu mão de fazer suas tentativas de volta para economizar equipamento. Na corrida 1 de domingo, o amazonense da Prati-Donaduzzi/RX Mattheis deve completar poucas voltas para focar na prova derradeira do fim de semana. Com pneus mais inteiros e a totalidade dos botões de ultrapassagem, o ‘Jungle Boy’ aposta numa estratégia diferente para tentar recuperar um pouco do prejuízo perdido.
 
Barrichello, como não poderia deixar de ser, comemorou muito a sua sétima pole da carreira na Stock Car. “Foi a primeira vez que consegui avançar para a última fase do classificatório em três corridas. Estava na pilha para entrar na pista e foi emocionante fazer e ver a equipe trabalhando para me dar um carro suficientemente bom para uma volta rápida de classificação. Acho que isso foi uma recompensa no final, e essa pole foi uma das mais memoráveis para mim”, disse o piloto pouco depois da classificação.
 
Contudo, a festa de Barrichello neste sábado tem grandes chances de não se repetir no domingo. Em conversa com o GRANDE PRÊMIO, Thiago Camilo, líder da temporada ao lado de Daniel Serra, sabe que o principal é que o piloto tenha uma tocada capaz de poupar os pneus ao máximo para tentar lutar pela vitória.
 
“Aqui, diferente do Velopark, onde a pole significa muito, aqui não importa tanto para o resultado final da corrida. Claro que é sempre bom largar na frente e ditar o ritmo, dá para administrar melhor o carro, mas não significa que largar um pouco mais atrás, com um bom acerto e que preserve bem os pneus, não consiga avançar, conseguir um pódio ou até uma vitória. É uma pista que permite isso, e há uma diferença de acerto entre um carro que consegue dar uma ou três voltas rápidas na classificação e quem se consegue se manter mais constante na prova toda”, salientou Thiago, que garantiu o terceiro lugar do grid.
Átila Abreu prevê grande desafio no trato com os pneus na rodada dupla em Santa Cruz do Sul (Foto: Victor Eleutério)
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Átila Abreu, da TMG/Shell Racing, também se colocou bem e no rol dos dez primeiros. O sorocabano ficou perto de ir ao Q3, mas vai largar em uma boa oitava colocação. Átila enfrentou dificuldades para encontrar a melhor janela de funcionamento dos pneus, mas a confiança é de um domingo diferente e muito mais positivo, apostando sobretudo no ritmo de corrida e no bom trato com os compostos.

 
"No Q1 eu sofri para conseguir temperatura nos pneus, tive que fazer uma segunda volta e conseguimos entrar. No Q2, fizemos pequenas mudanças, podemos mexer apenas na asa e na calibragem, e melhoramos, mas por não poder mexer tanto no carro não deu para melhorar mais. Faltou ali 0s5, mas é uma evolução. Estamos largando um pouco mais à frente, diferente do que aconteceu no Velopark, e temos de pensar na corrida e no campeonato”, destacou Átila, feliz por ter a chance de poder largar longe da ‘zona da confusão’.
 
“Aqui, pelo desgaste de pneus, será uma corrida de sobrevivência, não vai ser exatamente o que se viu na classificação. Vamos tentar somar bons pontos e voltar a ficar entre os três primeiros no campeonato”, complementou.
Eis a grande chave para o sucesso (ou fracasso) no fim de semana em Santa Cruz do Sul (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Chefe da TMG/Shell Racing, Thiago Meneghel segue o discurso de Átila e entende que o principal para Santa Cruz do Sul está longe de ser a posição de largada. A atenção principal está voltada para o desgaste de pneus e, dependendo de como tudo se desempenhar ao longo da primeira corrida, definir então a estratégia para o restante da rodada dupla.

"Das etapas deste ano até agora, é a que menos importa a posição de largada, já que o consumo de pneus é muito elevado. Amanhã é outro mundo na corrida, completamente diferente de hoje. A posição de largada vale mais pela segurança de evitar acidentes na largada”, comentou o engenheiro americanense.

 
A rodada dupla de Santa Cruz do Sul tem início às 13h (horário de Brasília) com a disputa da primeira corrida do fim de semana. A segunda prova começa às 14h10, todas com transmissão ao vivo pelo canal por assinatura SporTV. O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a terceira etapa da Stock Car 2017 com o jornalista Fernando Silva.
 
MENINO THOMAS MOSTRA LADO HUMANO DA F1 E AQUECE ATÉ CORAÇÃO DO ‘HOMEM DE GELO’ RÄIKKÖNEN

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube