Readaptação, pontos frequentes e luta pelo título: Pizzonia e Campos reeditam dupla e traçam metas na Stock Car 2017

Antônio Pizzonia e Júlio Campos voltam a formar dupla na Stock Car em 2017. O ‘Jungle Boy’ volta à categoria depois de praticamente um ano fora na esteira do retorno da Prati-Donaduzzi, farmacêutica de Toledo que agora é a principal patrocinadora da RX Mattheis. Pizzonia busca se readaptar com rapidez e somar pontos com frequência e, assim como o novo-velho colega de equipe, também planeja dar um salto em frente para voltar a lutar pelo título

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A abertura da temporada 2017 da Stock Car marca, entre tantas novidades, um retorno. A parceria bem-sucedida entre Antônio Pizzonia, Júlio Campos e a farmacêutica Prati-Donaduzzi foi retomada neste ano. Em 2016, Campos disputou a principal categoria do automobilismo nacional pela C2, enquanto Pizzonia só participou da etapa de abertura como convidado de Marcos Gomes na Corrida de Duplas, vencendo a prova em Curitiba. E a empresa com sede em Toledo, no Paraná, volta como patrocinadora depois de um ano fora. Todos fazem parte da RX Mattheis, equipe comandada por Rodolpho e Xandy Mattheis e que conta com o suporte de um nome icônico na Stock Car: Andreas Mattheis.

 
O primeiro período de união entre Pizzonia, Campos e a Prati-Donaduzzi durou duas temporadas: 2014 e 2015. A parceria teve seu lugar na Mico’s Racing, chefiada pelo uruguaio Juan Carlos ‘Mico’ López. Mesmo sendo um time com origem modesta, a Mico’s conseguiu quatro vitórias (duas com Pizzonia e outras duas com Campos) e se colocou no rol das grandes e em condições de lutar pelo título.
 
Agora, como diz o ditado, é ano novo e vida nova para Campos e Pizzonia. Sobretudo porque a dupla, assim como a Prati-Donaduzzi, agora fazem parte de uma equipe de peso na Stock Car. Correr com um time com a estrutura e o porte da Mattheis faz com que os pilotos logo pensem em alçar voos mais altos na categoria. Campos, no grid da Stock Car desde 2006, sonha em voltar a lutar pelo título. Pizzonia também almeja seguir o mesmo rumo para buscar o topo, mas pede paciência consigo mesmo antes de se readaptar ao carro e à categoria em 2017.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Júlio Campos e Antônio Pizzonia reeditam parceria bem-sucedida em 2017 na Stock Car (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
O ‘Jungle Boy’, ex-piloto de Jaguar e Williams na F1, falou ao GRANDE PRÊMIO pouco antes da etapa de Goiânia, prova que abre a temporada 2017 da Stock Car. Pizzonia vai largar em 11º, posição considerada bastante razoável em meio a um grid tão apertado e competitivo. Mas o manauara, hoje com 36 anos, espera levar algum tempo para se adaptar por completo.
 
“Voltar é sempre difícil. Aqui acabei tendo um certo benefício de ter um treino a mais, e isso sempre ajuda. Mas ainda estou um pouco fora de ritmo. Tinha certeza absoluta que iria sair neste fim de semana fora de ritmo, e acho que sinceramente vai demorar mais umas duas ou três corridas até pegar o ritmo pleno, o que é natural. Mas, se for analisar a posição em que largo hoje, dentro dessas circunstâncias, é uma posição boa”, disse.
 
“Mas, por outro lado, não fiquei contente por completo com a classificação porque acabei dando uma erradinha na minha volta que me custou 0s2, o que me deixou fora do Q3. Teoricamente poderia ter entrado no Q3, largando no mínimo em sexto, mas acontece. No meu caso, acho que é até natural esse erro ter acontecido por eu estar fora de forma”, salientou o piloto, que vai largar entre Felipe Fraga, décimo, e Rubens Barrichello, 12º.
 
Pizzonia se mostrou muito feliz por fazer parte de um time com uma estrutura tão grande como a RX Mattheis. A coirmã A.Mattheis/Ipiranga conta com outros dois pilotos de grande nível: Thiago Camilo e Galid Osman. Os dois vão dividir a segunda fila do grid logo mais em Goiânia.
 
“É uma equipe com um histórico muito bom, uma equipe vitoriosa. No ano passado eles não tiveram uma temporada muito boa na comparação com o nível que sempre tiveram, mas é uma equipe que, em alguns momentos em que viveram situação parecida, conseguiu uma recuperação muito forte. Então não tenho dúvidas de que vamos ter uma temporada competitiva, um equipamento com o qual vamos brigar por vitórias, pódios, e acho que nosso objetivo é mesmo esse”, comentou o piloto.
Antônio Pizzonia busca se readaptar o quanto antes ao carro e à Stock Car como um todo após um ano fora (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
Embora tenha o topo da Stock Car sempre em mente, Pizzonia planeja evoluir degrau por degrau em seu ano de retorno ao grid. “Minha meta principal é começar o ano pontuando o máximo possível, ter paciência comigo mesmo em relação à readaptação. Mas o principal é ter paciência e extrair o máximo de mim, mesmo nas condições em que me encontro hoje e, no momento certo, quando ter um carro competitivo e eu estiver com 100% adaptado, então brigar por objetivos maiores.”
 
“Mas o momento é buscar sair aqui de Goiânia com o máximo possível de pontos. Claro, chegar ao pódio é bom, vencer é melhor ainda, mas acho difícil nesse momento”, reconheceu o amazonense.
 
Campos se mostrou muito feliz por ver a parceria com Pizzonia ser retomada e acredita que, com o trabalho em conjunto, é possível levar a RX Mattheis novamente às vitórias na Stock Car em 2017. “A gente se conhece desde criança… É uma pessoa muito legal, um grande amigo que a gente acaba criando no automobilismo, então fico muito feliz por tê-lo de volta na equipe. E ele já voltou rápido, andou muito bem aqui, mostrando muitas coisas boas. Além da amizade como um todo, é bom tê-lo também para ajudar com o carro”, falou Júlio ao GRANDE PRÊMIO.
 
Curitibano de 35 anos, Campos deixou claro que é sempre tempo de aprender, mesmo com tamanha experiência. Depois de um ano razoável na C2, equipe em que tinha sociedade, Júlio agora está focado apenas em correr. E tem em mente buscar grandes resultados neste novo ciclo da sua carreira.
Júlio Campos tem como meta voltar a lutar pelo título em 2017 na Stock Car (Foto: Vanderley Soares)
“É mais um ano de aprendizado. Aqui no automobilismo a gente vive aprendendo. Já mostramos aqui o potencial que nós temos, conseguimos mostrar a velocidade que faltou nos últimos anos. Estou muito feliz. Feliz por estar de novo com a Prati, um patrocinador que gosta muito de automobilismo. Mesmo lá em Toledo, o pessoal é muito apaixonado, então é muito bacana ter esse incentivo do nosso patrocinador lá, que é paranaense como eu, então é sempre muito legal”, comemorou o piloto, que larga em oitavo na corrida de logo mais no Autódromo Internacional Ayrton Senna.
 
Júlio exaltou a estrutura que a Mattheis proporciona para que seja possível, aos quatro pilotos, buscar as primeiras posições e, naturalmente, o título da Stock Car. “É uma equipe com quatro carros muito parecidos. Claro que, num fim de semana de corrida, existem algumas diferenças em termos de acerto, que é resultado das conversas dos mecânicos e seus engenheiros, mas a gente tem uma performance muito boa: todos nós quatro andamos bem nos treinos, o Thiago, o Galid, também o Pizzonia… Então sabemos que os quatro carros estão muito rápidos já na primeira corrida.”
 
“Eles têm muita experiência, uma bagagem de acertos, muita coisa já foi feita, e isso acaba facilitando. E temos de aproveitar isso, essa experiência do Andreas, do Rodolpho. Então foi uma etapa de muitos testes, e tem sido muito legal. Poderia estar largando mais à frente, mas a corrida é longa e temos a certeza de que temos a chance de fazer bons pontos e até chegar ao pódio nessas duas corridas”, acrescentou.
 
Depois de um ano razoável, com uma vitória conquistada e o 11º lugar no campeonato em 2016, Campos busca retomar a rota das primeiras colocações e voltar a lutar pelo título, como aconteceu nos dois anos em que correu com as cores da Prati-Donaduzzi na Stock Car.
 
“A gente sabe que tem essa chance. Nosso objetivo é chegar no fim [da temporada] lutando pelo título. Em 2014 chegamos nas últimas corridas com os dois carros, eu e o Pizzonia, lutando pelo título; em 2015 liderei até a sétima etapa do campeonato, mas depois acabei tendo muitos problemas… E aqui não tem como falar que não viemos para isso”, declarou.
Júlio Campos comemorou também a retomada da parceria com a Prati-Donaduzzi na Stock Car (Foto: Duda Bairros/Vicar)
“Agora estamos na Mattheis, uma equipe com mais títulos na Stock Car, uma das mais fortes, então a gente vem para ganhar campeonato. É lutar para chegar em todas as provas pelo menos entre os oito primeiros para somar muitos pontos, priorizando a primeira prova, mas buscando também pontuar na segunda”, concluiu o #4.
 
A primeira rodada dupla com o novo formato da Stock Car começa logo mais, a partir das 13h (horário de Brasília), com a largada da corrida 1 e, às 14h10, a principal categoria do automobilismo brasileiro encerra a etapa de Goiânia com a segunda prova do fim de semana. A disputa terá transmissão ao vivo pelo canal SporTV. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo ‘in loco’.
 
PADDOCK GP #71 ANALISA ETAPAS DE ABERTURA DAS TEMPORADAS 2017 DA F1 E MOTOGP

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube