Stock Car

Salas segura pressão de Robe e vence corrida 1 da Stock Light em meio ao caos com chuva no Velopark

Vencedor da última corrida do ano passado na Stock Light, Guilherme Salas abriu a temporada 2019 com vitória em uma manhã muito chuvosa no Velopark. Em duelo de campeões do antigo Brasileiro de Turismo, Salas segurou a pressão de Gabriel Robe. Gustavo Frigotto foi o terceiro

Grande Prêmio, do Velopark / FERNANDO SILVA, de Sumaré
A primeira corrida da temporada 2019 da Stock Light estava prevista para o sábado, mas o dilúvio no Velopark impediu a realização da prova, remarcada para a manhã deste domingo (7). Mesmo com a forte chuva, que permaneceu na região metropolitana de Porto Alegre, desta vez a prova foi disputada novamente. Em duelo de ‘veteranos’ da categoria de acesso à Stock Car e campeões do antigo Brasileiro de Turismo, Guilherme Salas superou a pressão de Gabriel Robe para vencer a primeira corrida do ano na Stock Light.
 
A prova, iniciada com safety-car, teve seus muitos incidentes provocados pela forte e insistente chuva no Velopark. Assim, os veteranos da categoria levaram a melhor nesta manhã, com Gustavo Frigotto terminando na terceira colocação, seguido por Gustavo Myasava e Marco Cozzi.
Guilherme Salas venceu em meio ao caos com a chuva no Velopark (Foto: Denis Ribeiro/Stock Car)
Vitor Baptista terminou em uma boa sexta colocação, seguido pelo estreante Matheus Iorio. Raphael Abbate, outro nome cheio de experiência no grid da Stock Light, foi o oitavo, à frente do igualmente veterano Márcio Campos e de André Moraes Jr. E vai ser Moraes o responsável por abrir o grid da segunda e derradeira prova do fim de semana da categoria, logo mais, a partir de 12h40 (horário de Brasília).
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a etapa de abertura da temporada 2019 da Stock Car e da Stock Light no Velopark com o repórter Felipe Noronha.
 
Saiba como foi a corrida 1 da Stock Light no Velopark
 
Adiada para a manhã deste domingo, a corrida 1 da temporada 2019 da Stock Light começou novamente debaixo de muita chuva, o que levou a direção de prova a iniciar a disputa com o safety-car, com o pole Pietro Rimbano puxando o pelotão atrás do carro de segurança. Quem enfrentava problemas antes mesmo da largada propriamente dita era o atual campeão Raphael Reis, que não conseguiu alinhar seu carro na pista junto com os outros pilotos.
 
Em fila indiana e sem ultrapassagens, a ordem da prova estava inalterada, com Rimbano na frente, seguido por Guilherme Salas, Gabriel Robe, Gustavo Frigotto e Pedro Boesel fechando a lista dos cinco primeiros colocados.
 
Depois de quatro voltas com bandeira amarela, o safety-car foi para os boxes, e a direção de prova liberou a corrida. Foi uma relargada complicada especialmente para Rimbano, que acabou passando reto no S logo após a reta dos boxes e quase decolou ao acertar a zebra. Salas tomou a ponta da corrida. Lauro Traldi também escapava no mesmo trecho pouco depois.
 
Com o desenrolar da corrida, os incidentes tornaram-se frequentes, como com Gabriel Lusquiños, que escapou na curva 1, foi parar na grama e fez um rali, sujando seu carro de lama.
 
Salas aproveitava a experiência na pista para abrir vantagem na frente, seguido por Rimbano, Robe, Frigotto e Marco Cozzi. Raphael Reis, que conseguiu voltar à pista, acabou enfrentando problemas e teve de parar o carro antes da reta dos boxes. Mas até o próprio Salas enfrentava seus problemas e passava reto pela curva 1, danificando a dianteira do carro.
 
Mesmo com alguns incidentes, a corrida seguia seu ritmo normal e sem bandeiras amarelas. A novidade é que Salas passava a ser pressionado por Rimbano e Robe, com Marco Cozzi duelando com Gustavo Myasava mais atrás pelo quinto lugar.
 
Com 13 voltas para o fim, Robe fez a ultrapassagem sobre Rimbano e assumiu a segunda colocação, ficando só atrás de Salas no exato momento em que os líderes já enfrentavam tráfego por conta dos retardatários.
 
A briga pela liderança se acirrou entre dois campeões do antigo Brasileiro de Turismo: Salas, vencedor do campeonato em 2014, contra Robe, campeão em 2017. Com melhor ritmo e carro mais equilibrado, o gaúcho de Pelotas pressionou Salas, mas o piloto de Jundiaí resistiu bravamente. Mais atrás, Lauro Traldi voltava a protagonizar um incidente ao tocar no carro de Leonardo Sanchez. Tuca Antoniazzi era outro que rodava no caos do Velopark.
 
Com ótima negociação no tráfego, Salas conseguiu ‘respirar’ e escapar um pouco da pressão de Robe quando a corrida se aproximava do fim. O piloto da KTF Sports marcava inclusive a melhor volta da corrida — 1min09s485 —, que tinha um novo terceiro colocado: Frigotto, que acabava de passar Rimbano.
 
Robe respondeu Salas ao marcar a nova melhor volta da corrida, 1min09s377, encostando de novo no carro #85. Mas o experiente piloto da KTF se segurava na frente enquanto abria a última volta da corrida. Rimbano, com problemas no carro, ficava lento na pista e dava adeus às chances de um bom resultado.

Com 25 voltas, Salas, último vencedor da Stock Light no ano passado, comemorou a primeira vitória do ano na categoria, com 1s264 de vantagem para Robe. Frigotto completou o pódio, com Gustavo Myasava e Marco Cozzi completando o top-5 na manhã caótica deste domingo no Velopark.