Suzuki diz que chegada à Stock Car era estudada desde 2013 e que “aconteceu naturalmente”

Rafael Suzuki é um dos novatos da Stock Car em 2014. Piloto tem na bagagem títulos importantes no kartismo e passagens pelo automobilismo japonês e europeu

Quando parou de correr com fórmulas para se dedicar ao GT Open, em 2013, Rafael Suzuki já pensava em preparar seu caminho para estrear na Stock Car. Isso veio a acontecer no dia 23 de março de 2014, em Interlagos, marcando o início de uma carreira que o piloto espera que seja longa na categoria.

Campeão brasileiro de kart e da Seletiva Petrobras, Suzuki já se aventurou na F3 Japonesa e estava correndo com carros de turismo na Europa no ano passado. Foi o início de uma transição dos monopostos para a chegada ao principal campeonato do Brasil, a Stock Car.

Rafael Suzuki vai correr na Stock Car em 2014 (Foto: ProGP)

Em entrevista ao GRANDE PRÊMIO, Suzuki afirmou que essa mudança, estudada há meses, “aconteceu naturalmente”. Neste ano, o piloto vai defender a ProGP na categoria nacional. Na primeira corrida, disputada em duplas, terminou em 25º.

“Por eu ter conseguido andar bem no meu primeiro ano de turismo, deu uma empolgação para não chegar muito cru”, comentou o paulista, que disputou o título do GT Open com Giorgio Pantano.

“O pulo do fórmula direto para o V8 ia ser um negócio muito mais complexo. Mas foi legal. Tudo aconteceu muito natural”, disse. Uma vez dentro da Stock Car, Suzuki fala que “o plano é ficar”.

“Acho que não teria muito motivo de eu usar a Stock Car para outra coisa, não é essa base. Tanto que eu quero sempre continuar na evolução. Acho que, se eu parar no primeiro ano, não vou colher o que vou plantar. O objetivo é continuar”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube