Sem oferta de vaga competitiva, Haslam se despede do Mundial e vai guiar Kawasaki no Campeonato Britânico de Superbike

Sem uma boa vaga para a temporada 2016 do Mundial de Superbike, Leon Haslam decidiu dar um passo atrás e vai disputar o Campeonato Britânico de Superbike. Piloto de 32 anos vai guiar uma Kawasaki na equipe JG

Dono de cinco vitórias no Mundial de Superbike, Leon Haslam ficou sem opções competitivas para permanecer no grid de 2016. Depois de muito esperar uma posição da Aprilia, o piloto de 32 anos decidiu dar um passo atrás e confirmou o retorno ao Campeonato Britânico de Superbike, onde vai guiar uma Kawasaki da equipe JG.
 
Antes de mudar para o Mundial, em 2008, Haslam conquistou 16 vitórias e 38 pódios no certame inglês, e foi três vezes vice-campeão entre as temporadas de 2006 e 2008, sendo derrotado pelos multicampeões Ryuichi Kiyonari e Shane Byrne.
Leon Haslam deixa o Mundial de Superbike e vai correr no certame inglês em 2016 (Foto: Getty Images)
No Mundial, Leon foi vice-campeão em 2010, atrás de Max Biaggi e, além dos cinco triunfos, conquistou um total de 38 pódios. Em 2015, o britânico ficou com o quarto posto na classificação do Mundial de Pilotos, atrás de um impecável Jonathan Rea, Chaz Davies e Tom Sykes.
 
 “Estou realmente empolgado em voltar ao BSB, pois não tem nada como isso e quero lutar para ser o número um a cada fim de semana — esta, certamente, é a minha meta”, disse Haslam. “Sinto que tenho negócios inacabados no campeonato, pois perdi o título no passado e me sinto muito motivado a tentar lutar no próximo ano com a equipe JG”, continuou.
 
“Sinto que este é, na verdade, um passo adiante para mim, porque estou com um dos melhores times do paddock e guiando uma das motos mais competitivas com a nova Kawasaki, uma vez que sou um piloto e quero estar em posição de lutar pela vitória, o que não aconteceria no Mundial de Superbike em um moto que não fosse competitiva”, justificou. “Acredito que um dos maiores desafios nesse retorno será a diferença no estilo de pilotagem por conta do regulamento técnico, mas acho que isso será bom para mim, porque no BSB fica mais por conta do piloto do que se a eletrônica está funcionando direito”, comentou.
 
Haslam também se mostrou animado em guiar a Kawasaki, que vem acumulando ótimos resultados no mundo da Superbike nos últimos anos, e lembrou que lutou pelo título inglês com nomes como Leon Camier e Cal Crutchlow.
 
“Estou empolgado em guiar pela primeira vez a nova Kawasaki, pois já temos muito feedback positivo sobre ela e, se você olhar para o Mundial, é a moto a ser batida e, por isso, saber que poderemos lutar pela vitória é uma sensação fantástica. O primeiro teste será focado na minha adaptação à Kawasaki, pois temos muita coisa para trabalhar e desenvolver, mas, felizmente, o time tem um ótimo programa de testes, então estaremos prontos para pressionar desde o início da temporada”, ponderou. “O nível de competição no BSB é realmente alto, mas, ao mesmo tempo, quando eu lutei pelo título, enfrentei pilotos como Johnny Rea, Leon Camier, Shakey, Tom Sykes e Cal Crutchlow — eram os melhores pilotos do Reino Unido e o nível ainda é exatamente o mesmo. Com certeza, a lista de coisas que quero atingir inclui o título do BSB e este é um desafio para mim no próximo ano”, concluiu.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

PADDOCK GP EDIÇÃO #11: ASSISTA JÁ

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube