Tribunal na Itália condena motorista envolvido em acidente fatal de Hayden em Rimini

Um tribunal italiano condenou o motorista que atropelou Nicky Hayden em Rimini no ano passado. O homem de 31 anos podia pegar uma pena de até dois anos de prisão, mas o juiz do caso optou por uma sentença mais branda que ainda não foi fixada

O homem envolvido no acidente fatal de Nicky Hayden foi condenado pela justiça da Itália. O campeão de 2006 da MotoGP foi atropelado enquanto pedalava Rimini há pouco mais de um ano.
 
O motorista de 31 anos, que não teve o nome divulgado no processo, foi considerado culpado pelo crime de homicídio veicular, que tem pena de um a dois anos de prisão, mas o juiz Vinicio Canatarini optou por uma punição mais branda. Assim, a sentença será divulgada no prazo de 90 dias.
 
Além disso, o motorista também perdeu a carteira de habilitação e terá de arcar com todo o custo do processo.
Nicky Hayden morreu após ser atropelado em Misano (Foto: Graeme Brown/Red Bull Content Pool)
A investigação concluiu que o motorista do Peugeot 206 trafegava a 70 km/h em uma via que tem sua velocidade estabelecida em 50 km/h quando atingiu Hayden em 17 de maio do ano passado. O então piloto da Honda no Mundial de Superbike morreu cinco dias depois no hospital.
 
Um perito concluiu que o motorista poderia ter parado e “evitado completamente o acidente” se tivesse respeitado a velocidade da via.
 
A defesa argumentou que o piloto do Kentucky tampouco respeitou a placa de ‘pare’ no cruzamento, além de estar pedalando com fones de ouvido e ouvindo música. Um relatório oficial do acidente atribuiu 30% da culpa ao motorista.
 
A família de Hayden não compareceu ao julgamento, mas move uma ação cível contra o motorista.
 
Hayden morreu aos 35 anos e deixou os pais, Earl e Rose, os irmãos Tommy, Roger Lee, Jennifer e Kathleen, a noiva Jackie Marin, além de sobrinhos e sobrinhas.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube