Truck
07/10/2018 14:16

Martins aproveita grid invertido em Rivera e vence pela primeira vez em 2018. 4º, Giaffone é campeão

Renato Martins largou na pole-position e aproveitou a boa posição no grid para vencer pela primeira vez na temporada 2018 da Copa Truck. Felipe Giaffone terminou em quarto e ficou com o título da Copa Mercosul
Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
 Renato Martins vence corrida 2 no Uruguai (Foto: Vanderley Soares)
Renato Martins aproveitou o grid invertido e, largando na pole-position, venceu a segunda prova da Copa Truck em Rivera. Ainda na largada, Martins acabou perdendo a liderança para Djalma Fogaça, mas se recuperou, ultrapassou o companheiro de equipe e venceu pela primeira vez na temporada 2018.
 
Régis Boessio colocou seu Volvo em segundo, melhor resultado no ano. Largando em último depois de vencer a corrida 1, Andrade foi ganhando terreno e recebeu a bandeira quadriculada em terceiro.
 
Felipe Giaffone foi o quarto colocado e, com os pontos somados nas duas provas do dia, ficou com o título da Copa Mercosul. Djalma Fogaça liderou a primeira parte da prova, mas perdeu rendimento e fechou em quinto.
 
Wellington Cirino foi o sexto, seguido de Pedro Paulo, Adalberto Jardim e Luiz Lopes.
Largada da corrida 2 em Rivera (Foto: Vanderley Soares)
Saiba como foi a corrida 2 da Copa Truck em Rivera
 
Antes da largada, algumas baixas. Witold Ramasauskas não conseguiu sair para a volta de apresentação e foi retirado da pista. Fábio Fogaça acabou ficando nos boxes mesmo. Já Roberval, que era para largar em oitavo, ficou na última colocação.
 
Renato Martins ficou com a pole-position, seguido de Djalma Fogaça, Pedro Paulo e Régis Boessio. Na largada, Fogaça largou bem, pulou para a ponta e começou a abrir. 
 
Pedro Paulo se envolveu num toque com Cirino e caiu lá para trás. Enquanto isso, Duda Bana passou direto e bateu na proteção de pneus. Fim de prova para o piloto da Volvo.
 
Roberval Andrade vinha ganhando terreno e na terceira volta já era o sexto. Na frente, Martins se aproximou de Fogaça e ameaçou o líder, que se defendeu bem. Boessio acompanhava tudo de perto. Andrade superou Jardim e já era o quinto, e começou a atacar André Marques.

Restando 15 minutos para o fim, Martins foi para cima e superou o #72 após Fogaça abrir demais na curva. A prova tinha um novo líder. Andrade já era o quarto e trazia junto Giaffone, que também cresceu de produção. 
 
Giaffone foi para cima e na briga entre o #4 e o #15, quem se aproveitou foi André Marques, que ultrapassou os dois e retomou a quarta colocação. Com oito voltas completadas, a sequência tinha Martins, Fogaça, Boessio, Marques, Andrade, Giaffone, Cirino, Paulo, Jardim e Lopes.

Giaffone foi para cima e na briga entre o #4 e o #15, quem se aproveitou foi André Marques, que ultrapassou os dois e retomou a quarta colocação.
 
Com oito voltas completadas, a sequência tinha Martins, Fogaça, Boessio, Marques, Andrade, Giaffone, Cirino, Paulo, Jardim e Lopes.
 
Boessio colocava forte pressão sobre Fogaça na briga pela segunda colocação. O #72 se segurou como foi possível, mas acabou espalhando um pouco e abriu espaço para a manobra do #83, agora o segundo. Enquanto isso, Marques rodou e acabou abandonando.
 
Martins liderava com boa vantagem, 3s757 para Boessio. Fogaça estava 5s atrás do líder e já tomava um calor de Andrade. Giaffone acompanhava a disputa de perto. Não demorou para o #15 ultrapassar Fogaça. Giaffone fez o mesmo.
 
Lá na frente, Martins recebeu a bandeira quadriculada com 2s840 de vantagem para Boessio e faturou a primeira corrida neste ano.
Pódio da segunda corrida do domingo (Foto: Vanderley Soares)

Resultado final
 
1. Renato Martins (Volkswagen), 15 voltas em 25min21s983
2. Regis Boessio (Volvo), a 2s840
3. Roberval Andrade (Scania), a 3s009
4. Felipe Giaffone (Volkswagen), a 7s998
5. Djalma Fogaça (MAN), a 9s707
6. Wellington Cirino (Mercedes-Benz), a 10s194
7. Pedro Paulo Fernandes (Mercedes-Benz), a 16s942
8. Adalberto Jardim (Ford), a 33s525
9. Luiz Lopes (Iveco), a 35s890
10. André Marques (Mercedes-Benz), a 9 voltas
11. Duda Bana (Volvo), a 14 voltas