Retrospectiva 2019: Bicampeões: Rast leva DTM com recorde e Busch conquista Nascar

Na Nascar, Kyle Busch alcançou seu bicampeonato na divisão principal da categoria norte-americana. Investindo em uma campanha bastante regular, soube bater os adversários para sagrar-se o grande campeão de 2019. Já no DTM, o domínio de René Rast e da Audi foi absurdo

A retrospectiva do GRANDE PRÊMIO conta agora o ano de DTM e Nascar – duas categorias que viram bicampeonatos: uma de René Rast, outra de Kyle Busch. 

Na categoria alemã, domínio completo de René Rast e da Audi, enquanto nos EUA Kyle Busch foi 15 vezes ao pódio para, tal como o alemão, levar seu segundo título na carreira.

René Rast (Foto: DTM)

DTM

O 2019 do DTM pode ser resumido em recordes da Audi, a principal montadora no primeiro ano da volta do motor de quatro cilindros turbo, a maior novidade para a temporada.

A montadora anotou a maior pontuação da história entre motnadoras, sendo a primeira a passar de mil pontos na história da categoria: fez 1132, contra 550 da BMW e 49 da Aston Martin. Três de suas equipes ocuparam o top-3 do ano, com 12 vitórias (de 18 corrridas), 12 poles e 20 voltas mais rápidas.

Foram também 40 pódios (dos 54 possíveis) e em apenas uma corrida a Audi não apareceu na primeira fila do grid – na abertura, em Hockenheim, quando a BMW a ocupor por inteiro com Marco Wittmann e Philipp Eng.

Por fim, na etapa britãnica de Brands Hatch, a Audi ocupou as oito primeiras posições na corrida 2, algo que o DTM só havia visto uma vez na história – em 2016, em Hungaroring, também com a Audi. 

René Rast (Foto: DTM)

Isso, obviamente, signifocu que um piloto da montadora foi campeões: e este foi René Rast. Campeão em 2017 e vice em 2018, ele foi bi com seu próprio tipo de domínio, também.

Ao anotar 322 pontos, bateu Nico Müller por 72 de diferença, a maior já vista na categoria. Foram sete vitórias, com 13 pódios nos 18 possíveis. Também foram 13 largadas na primeira fila, recorde.

O título veio por antecipação: foi na penúltima etapa, em Nurburgring, com a terceira colocação na corrida 2. Isso não impediu que Rast ainda vencesse em Hockenheim, no encerramento.

NASCAR
 

Já na Nascar, o nome que brilhou ao longo de 2019 foi o de Kyle Busch. Em Homestead, o piloto fez uma corrida livre de quaisquer problemas, bateu Martin Truex Jr e repetiu o feito de 2015, conquistando seu bicampeonato na divisão principal da Nascar.

O #18 teve campeonato para se orgulhar ao longo do ano. Com desempenho extremamente regular, alcançou cinco vitórias e subiu nada menos que 15 vezes em algum dos degraus do pódio. Se isso não impressiona, cruzou a linha de chegada dentro do top-10 em 27 oportunidades, ficando fora apenas sete vezes.
 

Entretanto, o caneco deste ano teve um ponto diferente para o competidor da Joe Gibbs Racing. Enquanto que em sua primeira campanha campeã teve de ficar de fora de 11 corridas por conta de uma lesão, 2019 marcou seu primeiro troféu disputando as 36 etapas do calendário da categoria norte-americana.
Kyle Busch celebra o título da Nascar (Foto: Reprodução/Twitter)

Os outros três competidores que chegaram à disputa final na briga pelo título foram Truex Jr, Kevin Harvick e Denny Hamlin, que fecharam em segundo, terceiro e quarto, respectivamente. Enquanto isso, Joey Logano, que vinha para defender o caneco do último ano, terminou como o quinto colocado na classificação final. Hamlin, apesar de não ter sido o grande campeão, venceu a Daytona 500, tradicional prova do ano.
 

Entre as equipes e fábricas, números impressionaram por parte da Joe Gibbs Racing e Toyota, que colocaram três dos quatro pilotos na briga pelo título, além de ter vencido 19 das 36 corridas da temporada. 
 
E 2019 também ficou marcado para Alex Bowman e Justin Haley, que conquistaram suas primeiras vitórias da carreira, enquanto Daniel Hemric foi coroado o estreante do ano com grandes honras. Por outro lado, David Ragan e Paul Menard encaram seus últimos campeonatos, pois ambos se aposentaram após de mais de dez anos na categoria.
 
Nas classes menores, Tyler Reddick foi quem ficou com o título na Xfinity, enquanto Matt Crafton sagrou-se campeão na Truck Series.
 
Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube