F1
21/05/2018 10:52

Em meio a reorganização, McLaren recebe investimento superior a R$ 1 bilhão de pai de piloto da F2

Os cofres da McLaren estão em festa: Michael Latifi, magnata do ramo alimentício e pai do piloto Nicholas Latifi, da F2, comprou ações do Grupo McLaren ao preço de £ 203.8 milhões - cerca de R$ 1.030 bilhão. Ao menos inicialmente, o acordo não é com relação a pilotos
Warm Up
Redação GP, do Rio de Janeiro

A manhã desta segunda-feira (21) começou com uma notícia que anima os cofres do Grupo McLaren: um investimento de mais de R$ 1 bilhão. O dinheiro vem de Michael Latifi, magnata do ramo do ramo alimentício nascido no Irã e radicado no Canadá. O sobrenome não soa estranho? É porque Michael é pai de Nicholas Latifi, piloto da F2.
 
Em comunicado oficial, a McLaren confirmou a compra de ações por parte de Latifi pai no valor de R$ 1.030 bilhão em nome da Nidala (BVI) Limited, a companhia de Latifi. Segundo a McLaren, trata-se de um voto de confiança para o plano de longo prazo traçado pela marca.
 
"Uma injeção de capital de £ 203.8 milhões - cerca de R$ 1.030 bilhão - está sendo feita pela Nidala (BVI) Limitada para comprar 888.135 ações comuns do McLaren Group. Este novo capital será recebido no próximo ano", afirmou em comunicado.
 
"O novo capital, que é parte da simplificação do Grupo nos últimos 12 meses, vai fortalecer o balanço financeiro da McLaren significativamente e sustenta seu plano de crescimento ambicioso desenvolvido num plano de negócios de cinco anos", encerrou.
Nicholas Latifi no alto do pódio da F2 (Foto: FIA F2)

Latifi se disse um fã da McLaren e exaltou os projetos em curso na companhia na qual agora é um dos acionistas. 
 
"Sou admirador da marca McLaren e seus empreendimentos há algum tempo. A McLaren é uma organização automotiva única, de corrida e tecnologia, com animador prospecto de longo prazo. Foi por isso que fiz esse investimento", justificou. "Estou orgulhoso de ser parte da McLaren e essa marca incrível", seguiu.
 
Embora a ligação com Latifi filho seja óbvia, a revista inglesa 'Autosport' avalia que não se trata de um negócio com relação ao jovem: é apenas uma oportunidade comercial encontrada pelo pai. Nicholas é piloto da DAMS na F2 e piloto de desenvolvimento da Force India.
 
O diretor-executivo da McLaren, Mohammed bin Essa Al Khalifa também comemorou a negociação.
 
"Essa injeção de capital é um voto de confiança em nossa estratégia futura, e o Grupo continua tão focado quanto sempre no posicionamento para crescer. Estamos deliciados que Michael Latifi tenha se juntado à família McLaren", afirmou.
 
Além de Latifi, os outros acionistas do Grupo McLaren são Mansour Ojjeh e o fundo de investimento soberano do Bahrein, o Mumtalakat.

Últimas Notícias
segunda-feira, 25 de junho de 2018
F1
MotoGP
F1
Indy
F1
F3
Superbike
F1
Mitsubishi
F1
Nascar
Motociclismo
F1
F2
F1
Galerias de Imagens
Facebook