F1
28/07/2018 11:02

Hamilton aproveita forte chuva na Hungria, crava pole e comanda dobradinha da Mercedes

Lewis Hamilton teve a chuva como aliada no treino classificatório do GP da Hungria. Com pista molhada, a Mercedes encontrou ritmo superior ao da Ferrari e encaixou uma dobradinha com Valtteri Bottas em segundo. Kimi Räikkönen é terceiro enquanto Sebastian Vettel, antes favorito à pole, aparece em quarto
Warm Up, de Hungaroring / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 Lewis Hamilton consegue pole-position na molhada pista de Hungaroring (Foto: AFP)
Para Lewis Hamilton, o clima na Hungria foi uma benção. Depois de dever ritmo em pista seca, o piloto da Mercedes fez uma bela classificação sob chuva neste sábado (28). Além de ter um carro que se adequou melhor às condições molhadas, o atual campeão fez uma volta próxima da perfeição no Q3 e assegurou a posição de honra.

O tempo de Hamilton foi 1min35s658, quase 0s3 melhor que o de Valtteri Bottas. O finlandês quase levou a pole-position, mas fez o dever de casa ao assegurar uma dobradinha da Mercedes. A Ferrari, por sua vez, sai de cabisbaixa: Kimi Räikkönen larga em terceiro, enquanto Sebastian Vettel, precisando reagir após o abandono na Alemanha, parte do quarto lugar.

Carlos Sainz Jr. surpreendeu e garantiu o quinto lugar no grid. Outra agradável surpresa foi Pierre Gasly, sexto com a Toro Rosso. A Red Bull, por sua vez, decepcionou: a equipe que falava em briga por pole e vitória na Hungria afundou em pista molhada e só conseguiu um sétimo lugar com Max Verstappen, enquanto Daniel Ricciardo nem foi ao Q3. Brendon Hartley, Kevin Magnussen e Romain Grosjean completaram o top-10.
Lewis Hamilton se agigantou no Hungaroring (Foto: AFP)
A forte chuva, assim como suas idas e vindas, causaram eliminações inesperadas ao longo do Q1 e do Q2. Ainda na primeira fase, o elogiado Charles Leclerc ficou pelo caminho, em um distante 17º lugar. No Q2, pilotos como Daniel Ricciardo e Nico Hülkenberg, sempre entre os dez melhores nos treinos livres, acabaram respectivamente em 12º e 13º.

Apesar da chuva forte, raros foram os erros dos pilotos. O único acidente foi cortesia de Lance Stroll, que perdeu controle ao reacelerar e bateu na barreira de proteção.

Saiba como foi o treino classificatório do GP da Hungria
 
Depois de três treinos livres absolutamente secos, a definição do grid trouxe uma situação bastante diferente. A chuva começou a cair pouco mais de 15 minutos antes do início do Q1, deixando a pista molhada a ponto de considerar o uso de pneus intermediários.

Com a possibilidade de a chuva ficar ainda mais forte, a Mercedes mandou Hamilton e Bottas à pista de imediato para garantir voltas competitivas. A maior parte dos pilotos também deixou a garagem rapidamente.
 
O primeiro líder do Q1 foi Räikkönen, incríveis 0s3 mais rápido que Vettel e 0s8 mais rápido que Hamilton. Pelo rádio, diversos pilotos reclamavam que a pista estava seca demais para intermediários.
 
Após o primeiro ciclo de voltas, os pilotos na zona de eliminação eram Ocon, Ericsson, Vandoorne, Stroll e Sirotkin. Alonso chegou a aparecer na lanterna, mas evoluiu a ponta de empurrar o piloto da Force India para a rabeira.
Valtteri Bottas larga em segundo (Foto: Mercedes)

Restando 10 minutos de Q1, os pilotos do fundão resolveram ousar. Stroll, Siortkin e Ericsson colocaram pneus slicks para aproveitar a pista cada vez mais seca. Estava claro que era questão de tempo para que os tempos de pneus intermediários fossem inutilizados. Prova disso é que Magnussen e Sainz apareceram no topo da tabela tão logo encaixaram ultramacios.
 
Todo mundo melhorou drasticamente com slicks, o que chacoalhou a tabela de tempos. Ricciardo, por exemplo, se viu com risco real de eliminação – mesmo após a primeira volta com macios, o australiano ainda estava em 18º. Foi só em outra tentativa que deu para se salvar.
 
Depois de mais alguns chacoalhos na ordem, o Q1 terminou com eliminações inesperadas. Os já esperados Vandoorne e Sirotkin acabaram na companhia de Leclerc – e não Ericsson –, Ocon e Pérez, dupla da Force India.

O Q2 começou ainda com a ameaça da chuva, apesar da pista seca e dos pneus slicks. Quase todo mundo, menos Vettel, optou por deixar a garagem com ultramacios. A opção de Sebastian por intermediários se provou correta: a chuva apertou bastante nos primeiros instantes de Q2, jogando a favor do tetracampeão da Ferrari, que conseguiu 1min28s636.
Max Verstappen, assim como a Red Bull como um todo, decepcionou (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Depois disso, o mundo caiu. O segundo melhor tempo foi de 1min30s771, de Sainz. A pista estava aquaplanando, o que fez Hamilton e Magnussen escaparem na última curva, além de Stroll rodar e bater.
 
Restando seis minutos até o fim do Q2, os pilotos na zona de eliminação eram Alonso, Hülkenberg, Ricciardo, Ericsson e Stroll. Com chuva caindo tão forte, era difícil imaginar que tal cenário se modificaria. E assim aconteceu: apesar de tentativas desesperadas com pneus de chuva forte, ninguém escapou da zona de eliminação.

O Q3 começou em condições claramente de pneus de chuva forte. E começou também com uma marretada de Hamilton, que apareceu quase 1s mais rápido do que os adversários. A Ferrari se via em situação oposta: tanto Räikkönen quanto Vettel não conseguiam voltas muito boas logo de cara.
 
A equipe italiana eventualmente se acertou, ficando com a pole provisória através de Räikkönen. Faltavam apenas 30s para o fim do Q3, e aí a Mercedes tirou um coelho da cartola: tanto Bottas quanto Hamilton melhoraram drasticamente, com o britânico ficando com a pole em definitivo.

O Q3 começou em condições claramente de pneus de chuva forte. E começou também com uma marretada de Hamilton, que apareceu quase 1s mais rápido do que os adversários. A Ferrari se via em situação oposta: tanto Räikkönen quanto Vettel não conseguiam voltas muito boas logo de cara.
 
A equipe italiana eventualmente se acertou, ficando com a pole provisória através de Räikkönen. Faltavam apenas 30s para o fim do Q3, e aí a Mercedes tirou um coelho da cartola: tanto Bottas quanto Hamilton melhoraram drasticamente, com o britânico ficando na pole em definitivo.

F1 2018, GP da Hungria, Hungaroring, Grid de largada:

1 L HAMILTON Mercedes 1:35.658   25
2 V BOTTAS Mercedes 1:35.918 +0.260 25
3 K RÄIKKÖNEN Ferrari 1:36.186 +0.528 25
4 S VETTEL Ferrari 1:36.210 +0.552 24
5 C SAINZ JR Renault 1:36.743 +1.085 25
6 P GASLY Toro Rosso Honda 1:37.591 +1.933 25
7 M VERSTAPPEN Red Bull Tag Heuer 1:38.032 +2.374 24
8 B HARTLEY Toro Rosso Honda 1:38.128 +2.470 24
9 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:39.858 +4.200 25
10 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:40.593 +4.935 25
11 F ALONSO McLaren Renault 1:35.214   24
12 D RICCIARDO Red Bull Tag Heuer 1:36.442   19
13 N HÜLKENBERG Renault 1:36.506   21
14 M ERICSSON Sauber Ferrari 1:36.075   20
15 L STROLL Williams Mercedes 1:36.000   22
16 S VANDOORNE McLaren Renault 1:18.782   11
17 C LECLERC Sauber Ferrari 1:18.817   13
18 E OCON Force India Mercedes 1:19.142   12
19 S PÉREZ Force India Mercedes 1:19.200   11
20 S SIROTKIN Williams Mercedes 1:19.301   12
    Tempo 107% 1:42.354 +6.696  
           
REC M SCHUMACHER Ferrari   1:19.071  
MV R BARRICHELLO Ferrari   1:18.436