F1
24/07/2017 05:51

Renault confirma teste com Kubica em “carro atual e em condições representativas” após GP da Hungria

Está confirmado. Robert Kubica vai mesmo testar o R.S.17, carro da Renault na temporada 2017, no próximo dia 2 de agosto em Hungaroring. Cyril Abiteboul, diretor-executivo da equipe anglo-francesa, disse que a sessão vai servir para mostrar “em quais condições seria possível a Kubica voltar à competição nos próximos anos”
Warm Up / Redação GP,  de Sumaré
 Nico Hülkenberg (Foto: Beto Issa)

Robert Kubica vai dar mais um passo naquele que pode ser um dos mais incríveis retornos à F1 em todos os tempos. O polonês vai mesmo guiar o R.S.17, carro da Renault em 2017, durante a sessão de testes coletivos que a F1 vai promover entre 1º e 2 de agosto em Hungaroring, dias depois da disputa do GP da Hungria, neste fim de semana. A Renault confirmou a participação do polonês de 32 anos na sessão na manhã desta segunda-feira (24). 
 
 
As notícias sobre o teste de Kubica na Hungria ganharam corpo depois do bom desempenho exibido pelo polaco nos dois testes feitos a bordo do E20, carro usado pela Lotus-Renault em 2012 por Kimi Räikkönen e Romain Grosjean. Em seguida, o piloto fez testes no simulador com o carro na configuração atual, muito mais exigente fisicamente. 
Robert Kubica vai testar em Hungaroring o carro de 2017 da Renault para que a equipe avalie seu retorno à F1 (Foto: Renault)
Robert, mesmo com as limitações no braço e mão direitos — em virtude do gravíssimo acidente sofrido no Rali Ronde di Andora, em 6 de fevereiro de 2011, que praticamente colocou fim à sua carreira na F1 —, foi muito bem e se mostrou pronto para pilotar o R.S.17 quando fosse chamado.
 
Agora, a Renault confirma mais um avanço no processo de preparação para Kubica poder voltar à F1. “Os primeiros dias de testes permitiram que tanto Kubica quanto nós reuníssemos uma grande quantidade de informação. A próxima sessão, com o R.S.17, em Hungaroring, vai nos permitir obter dados detalhados e precisos com o carro atual e em condições representativas”, declarou Abiteboul em comunicado emitido pela Renault.
 
“Depois deste teste, vamos analisar a informação acumulada para decidir em quais condições seria possível a Kubica voltar à competição nos próximos anos”, acrescentou o dirigente francês.
 

Palmer tem uma última chance de mostrar serviço. A Renault, impaciente com o britânico, desenvolveu um novo assoalho que vai ser usado no fim de semana do GP da Hungria. Depois deste fim de semana, a participação do piloto é incerta. A equipe está bastante insatisfeita porque todos os 26 pontos na temporada foram marcados por Nico Hülkenberg, enquanto Palmer segue zerado. Daí toda a esperança em Kubica ir bem no teste com o carro de 2017 para efetivá-lo na vaga de titular já em Spa-Francorchamps, conforme reporta o GRANDE PRÊMIO.
 
Caso a tentativa com Kubica não dê certo, a Renault tem duas opções na manga. Uma delas é dispor do pagamento da multa de recisão de contrato e trazer o cobiçado Carlos Sainz, que já não esconde a vontade de deixar a Toro Rosso após três anos no time B da Red Bull. A influência que Alonso tem na Renault pode ser um ponto em favor do jovem espanhol em uma eventual contratação. Um plano C também está previsto, embora seja um pouco mais improvável. Sergio Pérez, em grande fase na Force India, já foi cortejado pela Renault no ano passado, mas optou por seguir na equipe de Silverstone. Uma nova tentativa de trazer o mexicano pode acontecer caso os esforços com Kubica e Sainz não sejam bem-sucedidos.
GRANDE FORMA DE BOTTAS NA F1 MOSTRA QUE PREVISÕES ESTAVAM ERRADAS: "NEM A PRÓPRIA MERCEDES ACREDITAVA"