MotoGP
12/12/2017 09:53

Promotora da MotoGP anuncia italiana Energica como fornecedora única da Copa do Mundo de Moto-e a partir de 2019

A Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, anunciou nesta terça-feira (12) que a italiana Energica será a fornecedora única da Copa do Mundo de Moto-e. Série elétrica terá início em 2019
Warm Up / Redação GP,  de São Paulo
 Energica (Foto: Divulgação)

A Dorna deu mais um passo rumo à criação de uma categoria elétrica dentro do Mundial de Motovelocidade. A promotora espanhola anunciou nesta terça-feira (12) a escolha da italiana Energica como fornecedora única das motos da Copa do Mundo de Moto-e da FIM (Federação Internacional de Motociclismo).
 
A categoria de motos elétricas vai começar na temporada 2019 e utilizará uma versão adaptada da Energica Ego. A Ego, que terminou na sétima colocação na edição 2017 do TT da Ilha de Man na categoria Zero, vai de 0 a 100 km/h em 3s e atinge a velocidade máxima de 240 km/h.
Italiana Energica vai fornecer motos da Copa do Mundo de Moto-e (Foto: Divulgação)

“A FIM está muito feliz em apoiar o desenvolvimento de novas tecnologias e a Copa do Mundo de Moto-e é um exemplo disso”, disse Vito Ippolito, presidente da entidade. “A Energica está mostrando ser uma líder confiável e especialista neste setor e com o altamente qualificado apoio da Dorna, temos certeza de que estamos pegando o caminho para o sucesso”, continuou.
 
Livia Cevolini, diretora-executiva da Energica Motor Company, celebrou a escolha da empresa de Modena para o certame e agradeceu a oportunidade recebida da Dorna.
 
“Nós estamos orgulhosos por sermos escolhidos pela Dorna e já estamos comprometidos com este projeto”, disse Cevolini. “A paixão por motores foi o que nos trouxe até aqui, para construir novos veículos dos sonhos justo no coração pulsante do Vale do Motor Italiano, em Modena, na Itália”, seguiu.
 
“Nós levamos o campo elétrico a outro nível: cada Energica é submetida a controle de qualidade e testes de performance, e nosso departamento de pesquisa e desenvolvimento está sempre focado em novas tecnologias e suas aplicações práticas”, comentou. “Nossa história vem das corridas, nossa paixão neste setor nunca diminuiu. A Moto-e é um projeto excelente. No fim, é por isso que esperávamos desde os nossos anos nas corridas, e agora isso pode ser gerido de uma maneira profissional graças a Dorna e sua única e longa experiência”, completou.
 
Diretor-executivo da Dorna, Carmelo Ezpeleta exaltou a Energica e se disse orgulhoso por dar o pontapé inicial da Moto-e.
 
“A Copa do Mundo de Moto-e da FIM é um novo e empolgante projeto para a Dorna, e ficamos muito orgulhosos em anunciar que a Energica vai ser a fornecedora deste novo empreendimento”, falou Ezpeleta. “Nós acreditamos em excelência, qualidade e performance e não podemos pensar em um colaborador melhor com quem lançar a Copa do Mundo de Moto-e da FIM”, apontou.
 
“A Energica é uma indústria líder e inovadora e estamos ansiosos pelo incrível espetáculo das corridas elétricas”, concluiu.
Energica Ego vai ser a moto do certame (Foto: Divulgação/Lulop)
Recentemente, Nicolas Goubert, então diretor-técnico da Michelin, foi anunciado como diretor da Copa do Mundo de Moto-e.
 
A expectativa é de que o grid tenha entre 15 e 20 motos em sua primeira temporada. A Moto-e vai acompanhar a MotoGP em etapas selecionadas.
FALTA DE HONESTIDADE

PERDA DE ETAPA DA FÓRMULA E É DESASTROSA PARA SÃO PAULO