Porsche GT3 Cup
02/08/2018 09:10

Baptista exalta pódio e vê experiência gratificante em dividir pista com Di Grassi e Piquet na Porsche

Vitor Baptista teve uma grande estreia na Porsche Endurance Series, em Interlagos. Ao lado de Pedro Queirolo, o piloto largou da 11ª posição para terminar em quarto, subindo ao pódio. A experiência, é claro, foi muito comemorada por ele, que ainda falou sobre dividir as pistas com grandes nomes como Cacá Bueno, Lucas Di Grassi e Nelsinho Piquet
Warm Up / NATHÁLIA DE VIVO, de São Paulo
 Baptista e Queirolo (Foto: Luca Bassani)
Vitor Baptista não pode reclamar de sua estreia nas corridas de longa duração. Na abertura da temporada da Porsche Endurance Series, que aconteceu em Interlago, o piloto terminou na quarta colocação e já subiu no pódio em sua primeira prova.
 
O competidor fez par com Pedro Queirolo. A dupla largou apenas da 11ª colocação, mas após investir em uma estratégia certeira e fazer bom trabalho nos boxes, conseguiu escalar o pelotão para abocanhar a ótima colocação.
 
O atual líder da Carrera Cup 3.8 exaltou o resultado, ressaltando o bom trabalho feito por todos dentro da equipe. “Foi muito boa, fiquei muito feliz com o resultado final. Nós largamos de 11º e sabíamos que não éramos a dupla mais forte da corrida”, disse ao GRANDE PRÊMIO.
Baptista e Queirolo (Foto: Dalton yamashita/Grande Prêmio)
“Fiquei muito feliz com o quarto lugar no final, fizemos uma estratégia confortável, contávamos com o safety-car, mas foi muito bom, fiquei muito feliz com o trabalho de toda equipe durante a troca de pneu, reabastecimento e também meu companheiro de equipe Pedro Queirolo. Só tenho que agradecer a equipe e focar para a próxima”, seguiu.
 
A prova no autódromo paulistano ainda contou com grandes nomes do automobilismo nacional e internacional, como Lucas Di Grassi, Nelsinho Piquet, Cacá Bueno, Ricardo Zonta, entre tantos outros.
 
Para Vitor, a oportunidade de poder dividir a pista com estes competidores foi única e bastante gratificante. “É muito legal e gratificante. Vemos esses pilotos com nome muito bem feito tanto aqui quanto lá fora”, apontou.
 
“Então fico muito feliz de correr de igual para igual, o carro é muito parecido. Então sabemos que, na pista, quem estiver mais rápido ou o pneu é um pouco melhor ou está com braço melhor. Terminar em quarto ao lado desses caras todos é muito gratificante”, encerrou.