Endurance

Alonso celebra vitória “muito difícil” nas 24h de Daytona por condições climáticas: “Estou orgulhoso”

Fernando Alonso, ao lado de Kamui Kobayashi, Jordan Taylor e Renger van der Zande, navegou em de Daytona até alcançar a vitória na prova de 24 horas. O espanhol destacou o tamanho do desafio proporcionado pela tempestade de domingo na Flórida

Warm Up / Redação GP, de Berlim
A vitória que na primeira metade da corrida pareceu se desenhar tranquila ganhou ares de drama na segunda. Conforme a chuva começou a cair com força, causando uma série de incidentes e paralisações, Fernando Alonso viu as 24 Horas de Daytona deste fim de semana se tornar questão de sobrevivência. Depois de não apenas sobreviver, também garantindo a vitória, o espanhol acredita que a equipe do Cadillac #10 tem todos os motivos para se orgulhar.
 
Alonso foi a última adição ao quarteto que se tornou campeão. Kamui Kobayashi, Jordan Taylor e Renger van ser Zande também levantaram o caneco em Daytona.
 
“Estou muito, muito orgulhoso do trabalho que fizemos hoje, mas não foi o trabalho de um dia, e sim de um mês”, disse Alonso. Para mim, em dezembro começamos a pensar na corrida e a receber todos os documentos a respeito de como o Cadillac funciona, como a Wayne Taylor funciona, alguns procedimentos que podem ser diferentes em comparação com outras equipes”, seguiu.
Kobayashi, Alonso, Van der Zande e Jordan Taylor festejam a vitória em Daytona (Foto: IMSA/Twitter)
Kobayashi e Alonso, apesar de experiências vitoriosas no automobilismo europeu, eram novatos na Wayne Taylor Racing. Seria necessário acumular experiência o mais rápido possível para lidar com uma corrida que variou do clima seco à chuva torrencial.
 
“Tentamos ter uma rápida integração. Kamui [Kobayashi] e eu tentamos aprender o máximo possível a respeito dessa equipe no Roar. A corrida em si foi muito difícil, com condições climáticas mudando o tempo todo”, encerrou Alonso.
 
A chuva acabou sendo o fator decisivo na reta final da corrida. O #10 estava atrás do #31, com Felipe Nasr ao volante, com duas horas restando no cronômetro. O brasileiro aquaplanou na curva 1 e escapou, permitindo que Alonso retomasse a ponta. A bandeira amarela foi acionada pouco depois, efetivamente encerrando a disputa na Flórida.