Endurance

Alonso reafirma que deve tirar 2019 para fazer “corridas icônicas”: “Tenho que recarregar as baterias”

O ano de 2019 segue um mistério quando se pensa no que Fernando Alonso fará nas pistas - mas, aos poucos, ele vai diminuindo a dúvidas existentes. Em Xangai, onde disputa neste final de semana as 6 Horas locais no WEC, deu mais dicas do que pretende fazer na próxima temporada
Warm Up / FELIPE NORONHA, de São Paulo
 Fernando Alonso (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Durante sua passagem pelo Brasil na última semana, quando fez sua última prova nesta passagem pela F1 em Interlagos, palco de seus dois títulos mundiais, Fernando Alonso afirmou que fará "muitas mais" corridas em 2019 além das já divulgadas, e prometeu anunciá-las "passo a passo"

Neste sábado (17), em Xangai, onde disputa as 6 Horas locais com a Toyota pelo WEC, o espanhol deu mais dicas do que fará na próxima temporada. Nenhuma revelação, mas já é possível especular - lembrando que ele já confirmou sua presença nas 500 Milhas de Indianápolis, além das três etapas do Mundial de Endurance programadas para o ano que vem. 

"Estou tentando fechar o calendário, mas no ano que vem farei alguns desafios a mais além de Indianápolis. Não posso dizwer nada ainda", afirmou.
Fernando Alonso (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
"Não apenas Daytona (ele foi questionado sobre repetir a presença nas 24 Horas americanas). Há alguns lugares icônicos, corridas icônicas, que provavelmente adicionarei ao meu calendário", seguiu.

Segundo ele, está descartada a chance de disputar uma temporada completa em alguma categoria: "Acredito que para 2019 seja muito exigente fazer 17 corridas nos EUA, com todas as viagens, aprender sobre os circuitos... Acho que 2019 não é o momento", explicou, falando especificamente sobre a Indy.

"Sinto que preciso recarregar as baterias, mas é uma possibilidade paa 2020", continuou, antes de abrir chance não só para a Indy, mas também de um retorno surpreendente: "Fazer uma temporada completa na Indy, ou na F1."
Fernando Alonso (Foto: FIA/WEC)
Outra categoria citada por alonso foi a Super GT japonesa. Ele demonstrou interesse, mas citou os mesmos problemas apresentados pela Indy: "Conheço o campeonato. Kamui Kobayashi e Kazuki Najajima (companheiros na Toyota) disputam, então falamos muito sobre e acompanho as corridas."

"É interessante, mas assim como na Indy, correr a cada duas ou tr~es seamnas no Japão é muito exigente. Em 2019 não farei, mas em 2020 veremos", finalizou o bicampeão mundial de F1.