Com trios separados por 5 pontos, Toyota teme repetição de rivalidade ‘Hamilton x Rosberg’ no WEC

Alexander Wurz, ex-piloto e hoje dirigente da Toyota no Mundial de Endurance, teme problemas de relação entre os pilotos dos dois trios. Sem a ameaça de outras equipes, o dirigente acredita que os companheiros podem virar inimigos pelo título

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Em um Mundial de Endurance que tem a Toyota como única verdadeira postulante ao título, as rivalidades internas surgem como ameaça. Passadas cinco das oito etapas da temporada 2018-19, os trios Fernando Alonso/Sébastien Buemi/Kazumi Nakajima e Mike Conway/Kamui Kobayashi/José María López estão separados por apenas 5 pontos na classificação. É o suficiente para fazer Alexander Wurz, ex-piloto e atual dirigente da Toyota, temer um conflito entre os dois lados da garagem.
 
“Avisei a equipe antes da temporada começar sobre as brigas internas e como isso poderia ser muito intenso”, disse Wurz, entrevistado pelo jornal espanhol ‘AS’. “Quando você tem o objetivo em comum de superar outra fábrica, como acontecia com Audi e Porsche, estávamos todos juntos. Agora, o maior inimigo está dentro da equipe”, ponderou.
 
“Vimos isso na Mercedes, na F1, com a briga entre Hamilton e Rosberg que foi extremamente intensa porque só aquele carro podia vencer o Mundial. Nossa situação é parecida e a equipe precisa de cuidado para que os pilotos sigam bem, dividindo informação e se ajudando enquanto se controla o que acontece na pista”, continuou.
A Toyota voltou a vencer no WEC, agora em Xangai (Foto: Reprodução/Twitter)

O trio Alonso/Buemi/Nakajima conseguiu vencer as duas primeiras etapas, incluindo as 24 Horas de Le Mans. Passada a etapa de Silverstone, em que os dois carros foram desclassificados, Conway/Kobayashi/López deu o troco com vitórias no Japão e na China, no último fim de semana. A diferença na classificação é causada pela prova francesa, que tem maior pontuação.

 
Até aqui, todavia, a preocupação de Wurz fica apenas no campo das ideias. Ao contrário do visto com Lewis Hamilton e Nico Rosberg entre 2014 e 2016, nenhum dos seis pilotos da Toyota aparenta alimentar discórdia. 
 
A próxima etapa do Mundial de Endurance é apenas em 2019. As 1000 Milhas de Sebring, novidade do calendário, estão marcadas para 15 de março.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube