Endurance

Derani faz 'milagre', salva quarteto e se torna primeiro brasileiro a vencer 12 Horas de Sebring e Daytona 24 no mesmo ano

Pipo Derani, numa boa expressão do país onde está brilhando, começou o ano 'on fire'. O brasileiro assumiu o #2 da Tequila Patrón para a parte final das 12 Horas de Sebring e, em dez minutos, saiu do quarto lugar para a ponta da corrida. Ele fez o quarteto ainda formado por Ed Brown, Johannes van Overbeek e Scott Sharp estragar a dobradinha da Action Express

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro

O ano começou especial para Pipo Derani. Depois de abrir a temporada válida pela WeatherTech SportsCar com a vitória nas 24 Horas de Daytona, Derani comemorou mais um triunfo na noite deste sábado: a das 12 Horas de Sebring. É a primeira vez que um piloto brasileiro ganha as duas provas de longa duração mais tradicionais do automobilismo norte-americano no mesmo ano.
 
É um início muito forte para o #2 da Tequila Patrón. Junto de Ed Brown, Johannes van Overbeek e Scott Sharp, Derani foi quem assumiu o carro para um stint final. Em dez minutos ele saiu do quarto posto para a liderança e recebeu a bandeira quadriculada - assim como em Daytona. É a primeira vez desde 1998 que o mesmo grupo vence Daytona e Sebring na mesma temporada. Na ocasião, Didier Theys, Mauro Baldi e Gianpiero Moretti conseguiram a façanha a bordo de uma Ferrari 333 SP.
O pódio em Sebring (Foto: José Mario Dias)
"Foi sensacional! Inacreditável vencer Daytona e Sebring no mesmo ano", celebrou Derani. "Foi uma corrida extremamente difícil, começando no seco, depois no molhado e a paralisação com a bandeira vermelha. Também fiz um stint longo com pneus de pista seca na chuva e depois, no final, as duas últimas horas foram pura emoção", contou. 
 
"Nos últimos 15 minutos, estávamos em quarto lugar, depois de fazer um stint liderando, então foi realmente espetacular conseguir vencer. A equipe fez um grande trabalho para me dar este carro em condições de fazer essas ultrapassagens no final e tinha de ser hoje. Eu tinha a chance de ganhar e não poderia deixar passar", comemorou.
 
O segundo e o terceiro lugares ficaram com os carros da Action Express. Scott Pruet foi o mais rápido do trio formado com Dane Cameron e Eric Curran. Pruett tambem andou no outro lado da garagem com Christian Fittipaldi, João Barbosa e Filipe Albuquerque. o quarteto de Christian, diga-se, liderou boa parte dos dois primeiros terços de prova.
Choveu bastante, viu? (Foto: Getty Images)
Ainda na classe LMP1, Oswaldo Negri, John Pew e Olivier Pla chegaram na sétima colocação. Já Rubens Barrichello, novamente andando ao lado dos irmãos Jordan e Ricky Taylor e de Max Angelelli no carro #10, teve problemas e abandoram. Foi Angelelli quem guiava quando teve problemas elétricos e parou na pista, obrigando uma paralisação.

Aliás, a chuva foi um fator. Desde 1997 que não chovia suficientemente durante uma prova para complicar a corrida. Uma bandeira vermelha teve de ser acionada: apenas em 1993 e 1995 as 12 Horas de Sebring foram paralisadas pela água.
 
Na classe GTLM, Oliver Gavin, Tommy Milner e o piloto da Audi, Marcel Fässler, especialmente convidado para as corridas mais longas, levaram o #4 da Corvette à vitória. Assim como na LMP1, o mesmo time venceu em Daytona e Sebring. Bill Auberlen, Dirk Werner e Bruno Spengler, time que teve Augusto Farfus em Daytona, ficaram com o segundo posto.
Oliver Gavin, Tommy Milner e Marcel Fässler levaram na GTLM (Foto: Getty Images)
Já na PC, a vitória ficou com a CORE e o trio formado de Jon Bennett, Colin Braun e Mark Wilkins. A Corsa comemorou a vitória na GTD, impulsionada por Alessandro Balzan, Jeff Segal e pela pilota dinamarquesa Christina Nielsen. 
 
A temporada da WeatherTech SportsCar segue em Long Beach, 16 de abril, enquanto a temporada do WEC, que Derani vai disputar pela Tequila Patrón - só que na LMP2 - começa no mesmo final de semana, em 17 de abril, com as 6 Horas de Silverstone.
 
VEJA A EDIÇÃO #20 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA F1, MOTOGP, INDY E F-E