FE
07/06/2018 09:30

Sem Brasil, FE lança calendário da quinta temporada e define formato de corridas por limite de tempo

Com muitas modificações, a temporada 2018/2019 promete uma grande revolução após os quatro primeiros anos da categoria dos carros elétricos. Com novo formato, sem troca de carros — graças a uma bateria que oferece maior autonomia — e nomes como Felipe Massa, que estreia pela Venturi, a FE tem novo calendário, mas com a América do Sul fora
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Nico Rosberg (Foto: Reprodução/Twitter)

A quinta temporada da FE, em 2018/19 já tem data para iniciar, 15 de dezembro, em Ad Diryah, na Arábia Saudita. A revolucionária categoria dos carros elétricos vem com a promessa de ser a “maior e melhor de todos os tempos”. Com uma nova geração de carro, o Gen2, novas equipes, novos pilotos — como Felipe Massa —, dentre outras tantas novidades, o próximo campeonato vai estar repleto de inovações para deixar a categoria mais emocionante e tecnológica.
 
A grande mudança para a nova temporada é a nova geração de carros, já em teste pelas equipes do grid. Os intitulados Gen2, segunda geração dos monopostos elétricos da categoria, tem o dobro da capacidade de energia do atual modelo e oferece uma bateria com autonomia para suportar toda a carga de uma corrida. Isso significa que não haverá mais trocas de carro no meio do ePrix. Com 250kW de potência, o Gen2 acelera de 0 a 100km/h em apenas 2.8s e atinge uma velocidade máxima de 280km/h.
 
A quinta temporada também vai estrear um novo formato de corrida: as voltas contadas foram abolidas, e a FE vai seguir o cronômetro para limitar suas provas. Cada rodada está estipulada em 45 minutos mais uma volta e não haverá uma pontuação especial para a volta mais rápida: os pontos serão dados, agora, para o piloto que usar a menor quantidade de energia e terminar entre os cinco primeiros a ver a bandeira quadriculada. 
O Gen2 estreia na temporada 2018/2019 da FE(Foto: DS)
Em busca de novas cidades, a FE redefiniu também o seu itinerário, que conservou as ruas já utilizadas até então, e integrou outros circuitos à temporada. A primeira etapa será em Ad Diriyah, que marca a estreia da categoria na Arábia Saudita, seguindo para Marrakesh, que vai receber a categoria pela terceira vez. Cidade do México e Hong Kong, permanecem no calendário, enquanto a China está de volta, com destino ainda não confirmado.

A fase europeia do calendário, nomeada Voestalpine European Series, vai compreender uma sequência de provas em Roma, Paris, Mônaco — que retorna ao calendário —, Berlim e Zurique, que recebe pela primeira vez a FE neste fim de semana. A etapa final vai ser, como nesta temporada, uma dupla rodada nas ruas de Nova York, em 13 e 14 de julho de 2019.
 
A FE rumou para longe da América do Sul, ao menos por enquanto. O eP de Buenos Aires, que já não apareceu na última temporada, não retornou, assim como o Brasil ficou fora do planejamento desta nova fase da categoria. São Paulo, que chegou a ter um traçado desenhado para receber as corridas e um acerto inicial, teve a etapa cancelada por conta da privatização do Complexo do Anhembi. O traçado, planejado para adentrar o sambódromo, não estava em acordo com a SPTuris e não foi realizado. Punta del Este e Santiago surgem como potenciais destinos, uma vez que ainda há uma data vaga no calendário, reservada para 26 de janeiro.
 
As mudanças se estenderam também para o bônus de pista, além do Fanboost. Ao invés dos 200kW padrão, o piloto terá, agora, 225kW e estarão sinalizados enquanto ocorrer o uso do recurso. O halo será iluminado com cores para identificar o período que o piloto usa a potência e como está usando. Ainda, a zona de ativação será marcada e visível para o telespectador acompanhar. O uso do artifício será limitado por número de usos e por período de ativação.
Felipe Massa assina com Venturi e corre na Fórmula E na temporada 2018/19 (Foto: Venturi)
O que certamente trará parte da fama de melhor temporada de todos os tempos é a participação de novas equipes e pilotos na FE. A HWA, equipe ligada à Mercedes, será o 11º time a se juntar à categoria e 22 carros vão fazer parte do grid. A BMW, atualmente parceira técnica da Andretti, assume a posição de equipe completa de fabricante. A alemã se junta à Audi, DS, Jaguar, NIO, Nissan e Venturi como fabricantes da série.
 
O anúncio de Felipe Massa como piloto da Venturi torna a temporada como a de maior renome em termos de participações. O brasileiro chega ao time monegasco em um contrato de três anos, mas disse que espera ficar na categoria “por muito tempo”. O piloto de 37 anos já havia demonstrado interesse na FE, e iniciará sua jornada nos carros elétricos a partir de dezembro de 2018. 
 
“A FE é uma possibilidade maior para mim, até pelo crescimento do campeonato e por tudo que gira ao redor do evento além das corridas. É da corrida que a gente [pilotos] gosta, mas a ideia de ser sustentável atrai o interesse de muitas montadoras. É um evento que vai seguir crescendo, mesmo em comparação com outros” afirmou Massa no anúncio de sua contratação.

FE, temporada 2018/19, calendário: 

AD DIRYAH ARÁBIA SAUDITA 15/12/2018
MARRAKECH MARROCOS 12/01/2019
A SER ANUNCIADO A SER ANUNCIADO 26/01/2019
CIDADE DO MÉXICO MÉXICO 16/02/2019
HONG KONG HONG KONG 10/03/2019
A SER ANUNCIADO CHINA 23/03/2019
ROMA ITÁLIA 13/04/2019
PARIS FRANÇA 27/04/2019
MÔNACO MÔNACO 11/05/2019
BERLIM ALEMANHA 25/05/2019
ZURIQUE SUÍÇA 06/06/2019
NOVA YORK ESTADOS UNIDOS 13/07/2019
NOVA YORK ESTADOS UNIDOS 14/07/2019
CONFLITO À VISTA?

NOVA EQUIPE DE LORENZO, HONDA É TODA MOLDADA PARA MÁRQUEZ