F1

Alonso diz que Hülkenberg precisa “saber largar” e só tira uma coisa boa após acidente: o halo

O último GP da Bélgica de F1 de Fernando Alonso não durou mais do que alguns metros. Abalroado por Nico Hülkenberg, o bicampeão virou passageiro e ainda decolou após impacto na Sauber de Charles Leclerc, com a McLaren acertando o halo do carro do monegasco
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Fernando Alonso protagonizou acidente na largada do GP da Bélgica (Foto: AFP)
O último fim de semana de Fernando Alonso em Spa-Francorchamps como piloto de F1 não vai deixar muitas saudades. Após desempenho paupérrimo de uma McLaren que jamais se mostrou competitiva, o GP da Bélgica derradeiro do bicampeão se encerrou metros após a largada. Tudo por conta de um acidente sério em que o espanhol foi envolvido após ter sido acertado pela Renault de Nico Hülkenberg após a largada neste domingo (26). Alonso ‘virou passageiro’ e não conseguiu evitar a batida em Charles Leclerc. Com o impacto, a McLaren #14 de Fernando decolou e acertou o halo na Sauber do novato. Os três abandonaram.
 
Alonso não escondeu o enfado com Hülkenberg pelo acidente. Por outro lado, se mostrou feliz por todos estarem bem e ilesos após a batida. Fernando, grande defensor do halo, destacou a segurança do elemento, introduzido nesta temporada justamente para elevar a segurança dos pilotos dentro dos carros.
 
“Foi ruim na largada”, afirmou o piloto em entrevista coletiva logo após ter deixado a prova. “Vi Hülkenberg nos retrovisores com os quatro pneus travados e ele estava vindo em altíssima velocidade. Não havia maneira de evitar aquilo. Ele acertou meu carro, e aí acabei indo pra cima de Charles. Obviamente, ele perdeu o ponto da frenagem, com grandes consequências”, comentou. O veterano elevou o tom crítico a respeito da manobra de Hülkenberg. “Não frear na curva 1 foi um grande erro. Alguns pilotos deveriam ter mais nível para correr aqui. Não é comum cometer tais erros em uma competição de alto nível como esta”, bradou. 
Fernando Alonso decolou após acidente na largada em Spa (Foto: AFP)
“O positivo é que nós todos estamos bem, tudo bem com Charles, com o halo, o bom é que nós três estamos bem”, destacou Alonso.
 
Sobre o halo, o bicampeão falou sobre a importância do dispositivo no quesito segurança. E aproveitou para criticar Nico. “Esta é uma grande prova. Nós não precisamos de qualquer prova, mas é bom. Algo parecido aconteceu em 2012 na largada. Quando você perde o ponto da frenagem e acerta alguém nessa velocidade, então você precisa pensar um pouquinho mais da próxima vez”.
 
Há cinco anos, Alonso sofreu acidente muito parecido na La Source, sendo um dos envolvidos e também viu seu carro decolar. A batida, em 2012, foi causada por Romain Grosjean, então na Lotus, que foi suspenso da corrida seguinte, o GP da Itália, dando lugar a Jérôme D’Ambrosio.
 
“Grosjean foi punido com a suspensão de uma corrida, então vamos ver o que eles decidem. É preciso saber largar. É difícil entender algumas manobras. Mas estamos todos bem e é o que importa”, comentou Fernando, Aliviado.
 
Ainda anestesiado pela adrenalina e inconformado por conta do acidente, Alonso ainda não conseguiu mensurar sobre ter corrido de F1 pela última vez em Spa. “Agora, não. Talvez em alguns dias, sim. Mas agora é muito mais sobre como se pode ter uma largada tão ruim e não consegue frear na primeira curva. É um grande erro”.
 
Para Monza, na semana que vem, a meta do espanhol é viver uma jornada ao menos mais positiva. “Vamos tentar fazer um bom fim de semana e que ninguém nos jogue para a frente”, concluiu o bicampeão do mundo.