Alonso escancara crise e diz que McLaren vai à abertura na Austrália pronta para ganhar “menos a Honda”

Depois de Éric Boullier, nesta terça-feira foi a vez de Fernando Alonso perder a paciência com o desempenho dos motores Honda e escancarar a crise do relacionamento entre britânicos e japoneses

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
A crise está oficialmente instaurada no relacionamento entre McLaren e Honda. Depois de Éric Boullier citar a parceira como responsável por uma série de falhas, nesta terça-feira (8) foi Fernando Alonso quem demonstrou estar sem paciência e confiança nos japoneses. Para o bicampeão, o único problema do carro laranja é o motor.

 
Alonso foi bastante direto ao ser questionado depois dos testes coletivos e afirmou que quem está atrasada para o início do campeonato é a Honda.
 
"Vamos para o GP da Austrália sem estar preparados como os nossos rivais. A equipe está pronta para ganhar, mas a Honda, não", disse o espanhol. 
 
O espanhol lembrou que as regras da categoria foram modificadas e que isso deu esperanças dentro do time de Woking que, até aqui, não se concretizaram. Alonso, porém, garantiu que vai seguir totalmente focado em buscar melhores resultados.
 
"Só temos um problema: o motor. É frustrante, porque as regras mudam e te enchem de esperanças. Precisamos de uma reação imediata. Não vou parar de correr sem o resultado que acho que mereço. Agora é o momento de atacar", seguiu.
Fernando Alonso não aguenta mais a falta de qualidade dos motores Honda (Foto: Twitter/McLaren)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;

google_ad_slot = “5708856992”;

google_ad_width = 336;

google_ad_height = 280;

O bicampeão reconheceu que o cronograma da equipe já foi bem prejudicado em Barcelona e chegou a dizer que o carro perde 30 km/h nas retas na comparação com os rivais.

 
"Não estamos fazendo as voltas que planejamos de manhã. Não conseguimos cumprir nosso cronograma, mas são apenas testes, por enquanto. Estou dando o máximo de mim nas curvas e tentando aproveitar. O carro está bem acertado, pronto, mas perdemos 30 km/h nas retas", completou.
 
Alonso completou somente 46 voltas nesta terça-feira e, para piorar, ficou apenas no 12º lugar na tabela de tempos, 3s7 atrás da melhor marca do dia, estabelecida por Valtteri Bottas.
O GRANDE PRÊMIO acompanha ‘in loco’ a segunda sessão de pré-temporada em Barcelona com o repórter Thiago Arantes e o fotógrafo Arnau Puig. Acompanhe AO VIVO e em TEMPO REAL.
PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube