Alonso rompe acordo com McLaren e abandona posto de embaixador

De acordo com o jornal ‘Marca, Fernando Alonso não tem mais vínculo com a McLaren. Isso dá ao espanhol maior liberdade na busca por uma nova chance na F1 e também acaba com as chances de voltar a Indianápolis com os alaranjados

Fernando Alonso já não tem mais vínculos com a McLaren, informa o jornal espanhol ‘Marca’. O bicampeão da Fórmula 1, que até o fim de 2019 desempenhou o posto de embaixador da marca, participando do projeto na Indy e aparecendo com frequência em GPs, optou por não renovar o acordo. O objetivo principal fica claro: abrir 2020 sem laços com a escuderia, fomentando novos rumos na busca por uma vaga na F1 em 2021.
 
Para retornar ao grid da F1, Alonso já afirmou que só aceitaria fazer parte de um projeto vencedor, capaz de render mais do que apenas disputas por pontos – justamente o que aconteceu com a McLaren entre 2015 e 2018. Mesmo que tal oportunidade não apareça, o divórcio com a equipe britânica não chega a ser negativo – sem o cargo de embaixador, Fernando tem mais liberdade para decidir os próximos passos da carreira.
Fernando Alonso era presença recorrente nos boxes da McLaren em 2019 (Foto: McLaren)

A possibilidade de retornar ao grid da F1 em 2021 é fomentada por Alonso desde sua saída, em 2018. É que o novo regulamento, transformado, promete aproximar a performance das equipes e acabar com o domínio absoluto das três gigantes da atualidade – Mercedes, Ferrari e Red Bull.

 
A decisão de Alonso, entretanto, não tem a ver apenas com a F1. O divórcio implica também na decisão de não participar das 500 Milhas de Indianápolis com a McLaren, isso um ano após o fiasco da não-classificação para a prova em 2019. Para retornar a Indiana, Fernando vai precisar de um novo parceiro.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube