AlphaTauri admite decepção com problemas no Catar, mas mantém “mesmos objetivos”

Jody Egginton, diretor-técnico da AlphaTauri, admitiu toda a tristeza da equipe italiana com a prova de Losail, onde quase tudo deu errado

F1: HAMILTON x VERSTAPPEN: DISPUTA INTENSA NA F1 A 2 PROVAS DO FIM | Paddock GP #269

A AlphaTauri se destacou ao longo do fim de semana do GP do Catar do último fim de semana. Sempre entre as primeiras colocadas, ensejou a busca de uma quantidade importante de pontos para a briga do quinto lugar no Mundial de Construtores. O que aconteceu, porém, é que deu tudo errado e os dois pilotos, Pierre Gasly e Yuki Tsunoda, terminaram zerados.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O diretor-tecnico Jody Egginton falou sobre após a decepção, mas não tocou no assunto da estratégia da AlphaTauri, que mostrava ritmo suficiente para ir ao Q3 da classificação de pneus médios e escolheu usar os macios. Depois, ao largar com os macios na corrida, o desgaste pegou os dois pilotos de jeito. Mas Egginton elencou motivos.

“A corrida do Catar foi difícil, porque os dois carros tiveram dificuldades de ritmo e desgaste de pneus. O primeiro stint de Yuki foi comprometido por um pedaço de visor que ficou preso na asa traseira, o que causou uma perda de equilíbrio e força e exigiu adiantar a primeira parada para que tirássemos. Isso o jogou para trás”, contou.

“Com Pierre, o problema era equilíbrio, porque tivemos um desgaste do pneu dianteiro esquerdo e não dava para perseguir quem vinha à frente. Então, novamente, tivemos de adiantar a parada e adaptar a estratégia para permitir que controlássemos o desgaste dos pneus. O resultado somado disso impacto a posição de pista e, depois, ele não tinha ritmo suficiente para recuperar da situação. Todo crédito para a Alpine, que realmente conseguiu fazer o pneu macio funcionar e, numa batalha tão apertada, fez a diferença”, disse.

Enquanto isso, a Alpine foi ao pódio com Fernando Alonso e marcou pontos com Esteban Ocon. Assim, o time francês abriu 25 pontos pra os italianos. Mas Egginton garante que a batalha ainda é a meta.

“Claro que toda a equipe está decepcionada, uma vez que perdemos contato na batalha pelo quinto lugar do Mundial de Construtores, ainda que tenhamos duas provas pela frente. Ainda que desafiador, nossos objetivos continuam os mesmos e vamos forçar bastante para marcar o maior número possível de pontos”, finalizou.

A F1 segue em dois fins de semana, na Arábia Saudita.

Paddockast #130: As maiores atuações da carreira de Hamilton na F1

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar