Alpine diz que “se assustou” com rendimento no calor e promete atualizações em Ímola

Marcin Budkowski, diretor-executivo da Alpine, revelou que a equipe tomou um susto generalizado com a fraqueza no calor do Bahrein. Trabalho é para melhorar conjunto em Ímola

Oliver Turvey não tirou o pé e acertou uma fila de carros que fazia simulação de largada em Roma (Vídeo: Fórmula E/Twitter)

A Alpine passou longe de ter a estreia que gostaria para a temporada 2021 do Mundial de Fórmula 1. Com rendimento abaixo do esperado e problemas de freio para Fernando Alonso, saiu do Bahrein sem pontos e deu a impressão de que está longe das rivais e abaixo do que mostrava ao longo de 2020. A equipe reconhece a situação e aponta que fraqueza maior ainda está nos momentos em que o clima se mostra mais quente.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

WEB STORIES: Os salários dos pilotos da temporada 2021 da Fórmula 1

A afirmação veio de Marcin Budkowski, o diretor-executivo da Alpine. Segundo ele, a equipe chegou a ficar um tanto quanto desesperada nos treinos da manhã do Bahrein: o carro simplesmente não respondia. Para a classificação e corrida, apesar do time francês seguir mal, Budkowski diz que as coisas se normalizaram. O que só mostra as dificuldades de começo de ano.

“É justo dizer que estamos menos felizes com o carro em locais quentes. O TL3 no Bahrein foi mais difícil para nós e voltamos para um nível de competitividade mais importante nas sessões noturnas, então TL2 e classificação. A temporada estava bem extrema, mais calor que no teste de pré-temporada. Sentei no pit-wall no começo do TL3 e estava 38°C, creio que 47 ou 48°C na pista. Muito mais quente que nos testes”, disse.

ESTEBAN OCON; FERNANDO ALONSO; GP DO BAHREIN; SAKHIR; F1; FÓRMULA 1; ALPINE;
Fernando Alonso e Esteban Ocon tiveram fim de semana difícil no Bahrein (Foto: Alpine F1 Team)

“Claro que as condições são as mesmas para todos, mas os carros são diferentes e reagem de maneira distinta a essas condições. Ficamos meio assustados com a sexta-feira de manhã. Não estávamos competitivos, então é melhor chegarmos logo a um lugar em que sejamos mais competitivos. Ainda estamos a 0s2 ou 0s3 de brigar de verdade com as equipes contra as quais devemos brigar”, admitiu.

Com as fraquezas expostas, a Alpine planeja chegar ao GP da Emília-Romanha, na semana que vem, com atualizações que o diretor descreveu como “bem decentes” para buscar uma recuperação frente, sobretudo, à McLaren e Ferrari.

“Temos trabalho de casa para entender o motivo de sermos menos competitivos no calor que em outras como as da noite no Bahrein. Não creio que será problemático em Ímola ou Portugal, mas pode ser uma questão importante nos meses de verão”, finalizou.

A etapa da semana que vem acontece em Ímola, com Portimão sendo a casa do GP de Portugal subsequente.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube