F1

Antes de fechar conta no Twitter, dono da Caterham se despede da rede social dizendo que “F1 não deu certo”

Crescem cada vez mais os rumores de que a Caterham vai deixar a F1. Nesta sexta, o dono da equipe, Tony Fernandes, se despediu do Twitter lamentando o fato de o projeto não ter dado certo

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Parece cada vez mais inevitável o fim da aventura da Caterham, equipe do milionário Tony Fernandes, no Mundial de F1. Nesta sexta-feira (27), o empresário malaio excluiu sua conta no Twitter — coisa que já vinha planejando — e, na despedida, lamentou o fracasso de sua empreitada na elite do automobilismo.

Fernandes escreveu: “A F1 não deu certo, mas amo a Caterham Cars”.

Dono de um conglomerado que tem a companhia aérea AirAsia como principal negócio, Fernandes entrou na F1 em 2010. Desde então, investiu pesado na montagem do time, mas não conseguiu resultados na pista. Até hoje, a equipe não pontuou e ainda teve de ver a Marussia alcançar essa façanha no GP de Mônaco, disputado no último mês de maio. O melhor resultado de um carro verde de Leafield foi o 11º lugar de Vitaly Petrov no GP do Brasil de 2012.
Tony Fernandes lamentou o fracasso de sua empreitada na F1 (Foto: Caterham)
No início deste ano, Fernandes afirmou que se a Caterham não apresentasse uma melhora significativa, não teria outra escolha a não ser abandonar o Mundial de F1.

O envolvimento de Fernandes com a indústria automotiva e automobilística só cresceu nos últimos quatro anos. Seu time começou na F1 como Lotus, mas a perda de uma disputa judicial pelos direitos de uso do nome da lendária escuderia de Colin Chapman o levou à compra da Caterham Cars, que passou a nomear sua operação no Mundial de Construtores.

Fernandes também passou a investir no Mundial de Motovelocidade, com uma equipe na Moto2, na GP2 e em outras áreas do esporte — incluindo o kartismo.

O encerramento da conta no Twitter vinha sendo planejado há alguns meses. Fernandes já dissera que deixaria a rede social quando completasse 50 anos — o que aconteceu no dia 30 de abril — e seu time de futebol, o Queens Park Rangers subisse para a primeira divisão do Campeonato Inglês, a Premier League — feito confirmado no mês passado.

“Vou fechar minha conta no Twitter hoje. Como disse, esperaria até o QPR subir e eu chegar aos 50. Posso recomeçar com contas dedicadas a algo. Até mais a todos. Talvez eu volte. Foi divertido e útil pra caramba. Falem a verdade e sejam corajosos. Defendam o que acreditam, lutem contra a opressão e, o mais importante, curtam a vid. Tchau!”, publicou.