Após fiasco, F1 decide nesta quinta-feira sobre adoção de formato misto para classificação em 2016

Os chefes da F1 vão decidir nesta quinta-feira (24) qual será o destino do sistema de classificação para a temporada 2016. A ideia é mesclar o formato novo com o modelo que era utilizado até 2015. Ou seja, o Q1 e o Q2 seguem com as eliminações a cada 90s, enquanto o Q3 será disputado na forma tradicional

Sem tempo a perder, os chefes da F1 vão votar nesta quinta-feira (24) o que vai ser do sistema de classificação da F1 na temporada 2016. Na verdade, os dirigentes vão decidir se seguem com o formato antigo ou se adotam um sistema misto, com eliminações constantes no Q1 e no Q2, mas com o modelo utilizado até 2015 sendo aplicado ao Q3.
 
A ideia é realmente manter as duas primeiras fases do treino classificatório, assim como foi disputado no GP da Austrália, mas com pequenos ajustes. A parte final e decisiva, que se mostrou um desastre no formato novo, vai voltar a ser realizada como antes, para garantir a emoção da briga pela pole-position.
Largada do GP da Austrália, com a Ferrari assumindo a liderança (Foto: Getty Images)
A definição do grid, que foi disputada em Melbourne no estilo eliminação, foi alvo de críticas severas de pilotos, equipes e dos próprios dirigentes, especialmente pela confusão provocada no Q3, que tirou a emoção da briga pela posição de honra. Ainda na Austrália, a F1 decidiu voltar atrás e retomar o formato antigo já para a etapa no Bahrein, a segunda do calendário. 
 
Agora, no entanto, a maior das categorias já pensa em misturar os dois sistemas. E neste momento, qualquer alteração exige a aprovação unânime da Comissão de F1, que é formada por 26 membros, entre eles os representantes das equipes, promotores, patrocinadores e pela Pirelli. 
 
E uma vez que o grupo tenha entrado em acordo, a medida será levada para o Conselho Mundial da FIA, que deve ratificar a regra antes da etapa barenita, que acontece no início de abril.
 
VEJA A EDIÇÃO #21 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA F1 E MOTOGP

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube