F1
06/02/2015 18:22

Após veto, Marussia rebate Force India, nega falta de informações e garante que ainda busca vaga no grid em 2015

O sonho de estar no grid do GP da Austrália ainda está vivo na Marussia. Diretor-executivo da equipe, Graeme Lowdon falou que o time segue batalhando para deixar o carro pronto e apresentar as informações que o Grupo de Estratégia da F1 pediu
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Max Chilton (Foto: Getty Images)
As esperanças da Marussia de estar no grid na temporada 2015 ainda não acabaram. Nesta sexta-feira (6), em um comunicado oficial, Graeme Lowdon, diretor-executivo da equipe, rebateu a afirmação de Bob Fernley, da Force India, de que o time teria deixado de fornecer informações necessárias para usar o carro de 2014 e deixou claro que o sonho da Marussia/Manor ainda é participar da temporada 2015 da F1.
 
Lowdon também comemorou o fato de o time deixar a administração judicial no próximo dia 19 com o acordo com os credores e considerou que este foi um importante primeiro passo para voltar ao grid da categoria.
 
“Foi muito bom ter deixado a administração judicial. É o primeiro grande sinal de que nós recebemos de fora para a equipe Manor poder entrar em ação em 2015. Temos um time grande trabalhando tanto no carro de 2014, quanto no que estamos preparando para 2015”, disse.
Graeme Lowdon ainda espera ver a Marussia / Manor no grid para a temporada 2015 (Foto: Getty Images)
Lowdon aproveitou para rebater o que disse mais cedo Fernley e garantiu que o time está preparando todas as garantias necessárias para apresentar ao Grupo de Estratégia. De acordo com o dirigente, a intenção é correr em 2015.
 
“Fiquei muito surpreso ao ouvir alguns comentários feitos hoje, particularmente com relação ao pedido que estávamos fazendo na reunião de ontem. E isso eu não confirmo. Nós não tentamos a aprovação junto ao Grupo de Estratégia ontem. Isso foi feito em dezembro e desde então estamos trabalhando para nos adequarmos aos requerimentos."

"Os comentários também mencionaram que faltava ao nosso pedido informações e que não havia nenhuma documentação de apoio para reforçar a questão de uma dispensa especial. Mais uma vez, nós não fizemos o pedido ontem e não estávamos solicitando nada na reunião", continuou.

"Em vez disso, estamos tentando avançar com o nosso processo no que diz respeito ao cumprimento e à organização da nossa operação. Nós estamos fazendo de tudo para readquirir rapidamente toda a equipe, parar conseguirmos cumprir esse sonho que seria estar na temporada 2015”, completou o britânico.

A revista alemã 'Auto Motor und Sport' informou que a Marussia/Manor, diante da situação, cogita aprontar às pressas um carro sob o regulamento de 2015 para que inicie o campeonato a partir do GP da China, o terceiro da temporada. Assim, arrebataria o dinheiro que tem direito pelo nono lugar no Mundial de Construtores no ano passado, evitando que seja dividido entre suas 'inimigas' de grid.
 
Participaram do Grupo de Estratégia as cinco escuderias que têm direito ad æternum — Mercedes, Red Bull, Williams, Ferrari e McLaren — e a melhor colocada no campeonato de Construtores além destas, no caso a equipe indiana. Cada equipe tem direito a um voto, enquanto FIA e FOM têm seis votos cada.
 
O chefão da F1, Bernie Ecclestone; o presidente da FIA, Jean Todt, Toto Wolff e Niki Lauda, ambos da Mercedes; Christian Horner, da Red Bull; Claire Williams, da equipe de seu pai; Sergio Marchionne e Maurizio Arrivabene, da Ferrari; e Ron Dennis e Éric Boullier, os dois da McLaren, estiveram presentes também.

A Marussia perdeu as últimas três etapas da temporada 2014 da F1 com problemas financeiros. Agora, após o Grupo de Estratégia da F1 vetar o uso do carro de 2014 nos testes de pré-temporada, o time corre para participar da temporada 2015 da F1 desde o GP da Austrália, que abre o campeonato em março.  

Confira o comunicado da Marussia com os detalhes sobre o processo para voltar ao grid:

- Em 17 de Dezembro de 2014, a equipe fez um pedido ao Grupo de Estratégia para poder usar o carro de 2014 com algumas modificações para atender o regulamento de 2015. Após análise, a equipe destacou que seriam necessárias apenas algumas mudanças.
 
- Na sequência, em 5 de janeiro, a equipe foi informada que o Grupo de Estratégia havia permitido que Caterham e Marussia corressem com o carro de 2014 na temporada 2015. Contudo, eram necessárias algumas modificações para seguirem o regulamento. A equipe confirmou que as alterações que fez no carro de 2014 já seguiam as orientações.
 
- A alteração no regulamento nessa altura necessita de unanimidade junto a todos os times. Depois do início do processo de deixar a administração judicial, a Marussia está engajada em fornecer todas as informações necessárias e relevantes para que o pedido seja consolidado.
 
- A equipe está concentrada em adequar o carro de 2014 a todas as obrigatoriedades impostas pelo Grupo de Estratégia, mas, ao mesmo tempo, está desenvolvendo o carro de 2015 para que este substitua o mais rapidamente possível o de 2014.
 
O SOM AO REDOR

Tempos mais baixos, menos problemas e mais barulho. Dá para resumir assim, do ponto de vista dos motores V6 turbo, a semana de testes da F1 em Jerez de la Frontera, abrindo a pré-temporada de 2015. Introduzidas em 2014, essas unidades de força que atrelam sistemas híbridos ao motor de combustão interna vêm recebendo muitas críticas desde o princípio desta nova era.
 
Há cabos eleitorais fortes que pedem a mudança do regulamento — a alternativa mais defendida neste momento é a adoção de propulsores com 1000 cavalos de potência. Mas é incontestável como, com o passar do tempo, nota-se uma evolução.

Leia a matéria especial do CONTA-GIRO desta semana no GRANDE PRÊMIO. 
FORA DE NOVO

O momento da Force India não é bom. Após perder a primeira bateria de testes em Jerez, o time indiano está fora da segunda sessão de treinos coletivos, que acontece em Barcelona e corre o risco de perder a terceira também. A confirmação veio nesta sexta-feira (6) por meio do chefe-adjunto do time Bob Fernley à BBC, que citou a falência de Marussia e Caterham e a demora para assinar contrato para ter o túnel de vento da Toyota como principais fatores para o atraso na produção do VJM08.
 
Fernley garantiu que não há a menor possibilidade do VJM08 estar pronto para a segunda bateria de testes, agora em Barcelona, mas explicou que a intenção do time é ter o novo carro pronto para a última sessão de testes. 

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO. 
LARANJAS NA FRENTE

A Honda deixou claro desde o primeiro dia que não foi a Sepang de brincadeira. Uma das maiores fábricas de motocicletas do mundo, a marca fundada por Soichiro Honda chegou à Malásia com dez protótipos para serem testados por quatro pilotos nesta primeira semana da pré-temporada 2015 da MotoGP.
 
Bicampeão da classe rainha, Marc Márquez se desdobrou para testar três das quatro motos que tinha na garagem — uma foi descartada logo de cara —, mas o trabalho extra não tirou o brilho do catalão, que liderou o dia final de testes coletivos.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.