Arrivabene pede calma e diz que ainda é cedo para tomar decisão sobre futuro de Räikkönen na Ferrari

Maurizio Arrivabene, o chefe da Ferrari, tratou de acalmar os ânimos depois do abandono de Kimi Räikkönen, neste domingo na Áustria, e disse que ainda é cedo para tomar uma decisão quanto à permanência ou não do finlandês nas garagens ferraristas em 2016

Depois do abandono de Kimi Räikkönen no GP da Áustria ainda na primeira volta devido a um acidente que também envolveu Fernando Alonso, Maurizio Arrivabene, o chefe da Ferrari, tratou logo de acalmar os ânimos e disse que ainda é muito cedo para falar sobre a permanência ou não do finlandês nas garagens ferraristas para a próxima temporada da F1.

O nórdico é o centro das especulações neste momento no Mundial. A equipe italiana tem uma opção de renovação de contrato com o piloto, mas disse que vai esperar mais para tomar uma decisão. Räikkönen, entretanto, vem sofrendo críticas pelo desempenho inferior ao do colega Sebastian Vettel, e o próprio Arrivabene chegou a falar que a continuidade de Kimi na equipe depende apenas dos resultados.

"Há muitas, muitas coisas que temos de considerar e agora é muito cedo para falar alguma coisa com ele ou decidir qualquer coisa", afirmou o dirigente aos jornalistas no Red Bull Ring, neste domingo (21).

Chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene conversa com Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen (Foto: AP)

O ferrarista revelou ainda que terá de fazer uma recomendação ao presidente da marca, Sergio Marchionne, no fim do ano, por isso acredita que é desmotivador decidir neste momento o futuro do piloto, especialmente se ele não for ficar. "Eu poderia olhar isso tudo com uma postura defensiva ou proteger Kimi, mas estamos no meio da temporada ainda. Tentem se colocar na minha posição. Não posso simplesmente chegar para o Kimi agora e dizer que ele está fora ou está dentro…", emendou.

"O que eu quero é que os rapazes se concentrem em seu trabalho e façam o máximo que puderem", acrescentou.

Questionado se o incidente envolvendo o finlandês na prova austríaca havia reduzido suas chances, Arrivabene insistiu: "Não é uma questão de hoje ou ontem".

"É claro que temos um prazo para definir [sobre a dupla de pilotos], mas não vou dizer qual é. É um conjunto de situações que vai conduzir a nossa decisão. E eu estou falando de performance. E isso significa que teremos uma espécie de abordagem holística. Como é o relacionamento com os engenheiros? Como ele obteve os pódios? O quão rápido ele trabalha?", explicou.

"Então, decidiremos no tempo certo, para ele e para nós", continuou.

Por fim, o chefe ferrarista deixou claro que a decisão final sobre Räikkönen será tomada por Marchionne. "Eu vou dar a minha opinião, mas teremos de conversar com o presidente para tomar uma decisão", contou.

"No mundo normal e em empresas normais, é dessa forma que o trabalho funciona. Se você é o presidente, você pode fazer o que quiser, se não precisa compartilhar a sua opinião para obter uma aprovação", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube