Batendo na porta da F1, Wehrlein lamenta crise na Manor e revela futuro em aberto: “A situação não é clara”

Pascal Wehrein, cotado para uma das vagas da Manor em 2016, lamentou a nova crise da escuderia, que perdeu dirigentes importantes nos últimos dias. O campeão do DTM enfatizou que “não existe uma decisão” sobre os novos problemas, indicando que o drama pode se arrastar por mais tempo

Nas últimas semanas, Pascal Wehrlein se consolidou como um dos favoritos às vagas da Manor na temporada 2016. Os rumores ganharam força quando a Mercedes, tutora do alemão, anunciou que seria fornecedora de motores para a nanica no próximo ano. Mas as últimas notícias indicam um futuro negro para a equipe nanica: dirigentes abandonaram a escuderia, deixando uma interrogação sobre seu futuro.
 
Consciente da situação de sua – talvez – futura equipe, Wehrlein já ficou com um pé atrás. O campeão do DTM lamentou as incertezas, que podem se arrastar por algum tempo.
Pascal Wehrlein, campeão do DTM, queria a F1. Mas pode ficar de mão vazia (Foto: DTM)
“Infelizmente eu não posso dizer nada, a situação não está clara. No momento não existe uma decisão e isso pode continuar assim até o próximo ano. Todo mundo toca no meu ombro e pergunta o que vai acontecer”, contou Wehrlein.
 
As crises não são novidade para a Manor. A equipe, com o nome de Marussia, não conseguiu disputar as últimas etapas da temporada 2014 por causa dos sérios problemas financeiros, que, aliados ao acidente fatal de Jules Bianchi, acabaram com o clima da esquadra anglo-russa. Para 2015, a nanica voltou dos mortos e alinhou no grid – mas pode estar perto de repetir os problemas anteriores.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube