Bottas faz melhor tempo da semana e lidera em Barcelona. Ferrari e Williams quebram

Valtteri Bottas marcou 1min15s674, com os pneus mais macios (C5) e registrou o tempo mais rápido da semana de testes da F1 até agora. Já Ferrari e Williams tiveram de lidar com quebras de motor

A Mercedes deu mais uma amostra do seu poderio na manhã desta sexta-feira (21), dia que encerra a primeira semana de pré-temporada da F1, em Barcelona. Valtteri Bottas liderou praticamente todo o primeiro período e fez a melhor volta da semana. Com pneus C5, os mais macios disponibilizados pela Pirelli, o finlandês anotou 1min15s732. A título de comparação, o tempo da pole do GP da Espanha do ano passado, feito também por Bottas, foi de 1min15s406, mas com maio registrando condições climáticas bem mais quentes em relação a fevereiro.

Se na Mercedes sobram motivos para sorrir, a Ferrari teve razões para se preocupar. Sebastian Vettel teve sua programação interrompida por conta da quebra do motor da nova SF1000 na metade da manhã, o que causou a primeira bandeira vermelha do período. A expectativa da escuderia de Maranello é que o tetracampeão só volte à pista à tarde. Pouco antes do almoço, nova interrupção, também provocada por falha no motor. Nicholas Latifi, da Williams, ficou parado em plena reta dos boxes. Foi o primeiro grande problema sofrido pelo time de Grove na pré-temporada.

Enquanto a Mercedes voa, a Ferrari tem problemas em Barcelona (Foto: Mercedes)

Com pneus macios, os C4, Esteban Ocon colocou a Renault em segundo com 1min17s102 — sendo também o segundo o piloto com mais voltas completadas, 72, empatado com Carlos Sainz —, enquanto a Racing Point voltou a ocupar uma posição de destaque na tabela, desta vez com Lance Stroll, em terceiro, ligeiramente mais lento que o francês, em 1min17s338. Daniil Kvyat foi o quarto colocado com a AlphaTauri, tendo sua melhor volta realizada com os pneus C4 (macios): 1min17s427. Max Verstappen, que chegou a liderar a sessão no começo da manhã com a Red Bull, fechou o top-5 e marcou 1min17s636 com pneus C2 (duros). O holandês completou 84 voltas na pista catalã.

De volta ao volante da Alfa Romeo, Antonio Giovinazzi foi o sexto, à frente da McLaren pilotada por Sainz. Romain Grosjean, da Haas, foi o oitavo. Vettel foi apenas o nono com a Ferrari, enquanto Latifi, com o Williams FW43, completou a lista dos dez pilotos que foram à pista.

Os trabalhos de pista em Barcelona recomeçam a partir de 10h (horário de Brasília). O GRANDE PRÊMIO cobre AO VIVO, em TEMPO REAL e ‘in loco’ os testes de pré-temporada da F1 em Barcelona com o repórter Vitor Fazio. Siga tudo aqui.

Saiba como foi a manhã do terceiro dia de pré-temporada da F1

A manhã do terceiro e último dia de testes desta semana em Barcelona começou com o habitual frio nesta época do ano: 5ºC de temperatura ambiente.
 
A Mercedes escalou Valtteri Bottas no primeiro período e deixou Lewis Hamilton para acelerar o novo carro prateado à tarde. Sebastian Vettel foi convocado pela Ferrari, enquanto a Red Bull optou por Max Verstappen pela manhã. Carlos Sainz voltou ao cockpit da McLaren antes de dar lugar a Lando Norris depois do almoço. Já Esteban Ocon assumiu o carro da Renault pela manhã antes de entregar o volante para Daniel Ricciardo à tarde. 
 
Daniil Kvyat foi selecionado pela AlphaTauri pela manhã, com Pierre Gasly voltando à tarde, enquanto Lance Stroll guiou a ‘Mercedes rosa’ da Racing Point. Antonio Giovinazzi foi escalado pela Alfa Romeo, assim como Romain Grosjean pela Haas, com Kevin Magnussen acelerando no período da tarde. Nicholas Latifi completou a lista dos pilotos desta sexta-feira a bordo da Williams.
 
Depois das voltas habituais de instalação, Vettel abriu a tabela de tempos da sexta-feira, ainda que bem lento: 1min32s450 com pneus duros (C2). Aos poucos, outros pilotos fizeram companhia ao alemão na pista, como Ocon, Stroll, Kvyat, Sainz e Latifi. Coube ao francês da Renault assumir a liderança em seguida com 1min19s287, também usando os C2. O tempo foi batido pela McLaren de Sainz, que marcou 1min19s095 com os pneus C3 (médios).
 
Os primeiros minutos foram mesmo bem agitados na tabela de tempos. Verstappen, com os pneus C2, tomou a ponta ao marcar 1min18s309, melhorando em seguida para 1min18s032, na sequência de um forte stint.
Bottas chegou a subir para primeiro, com pneus duros, mas acabou sendo superado por Verstappen, em outro stint com os C2, com o holandês a marcar 1min17s636. A Racing Point se destacou com outro bom desempenho. Stroll subiu para terceiro com pneus médios e se colocou entre os carros de Red Bull e Mercedes. E Ocon, em quarto, buscava avaliar a performance do novo Renault R.S.20, a ponto de abrir a asa móvel no retão de Barcelona.
Ferrari tem pane e provoca bandeira vermelha em Barcelona (Foto: Reprodução)
Quando a sessão se aproximava da metade, Vettel teve de lidar com uma pane na SF1000 quando percorria a curva 12. Imediatamente, o tetracampeão desceu do carro, analisou a traseira do modelo e recolheu para os boxes. Os mecânicos da Ferrari trataram de cobrir o veículo com um pano vermelho antes deste ser recolhido de volta para a garagem. Minutos depois, a escuderia de Maranello confirmou que se tratava de um problema no motor. A expectativa é que Vettel volte à pista somente à tarde.
 
Depois de 20 minutos de paralisação, a sessão foi retomada. Em seguida, Bottas marcou o melhor tempo da semana até então: 1min16s863, com pneus médios (C3). Na sequência do stint, o finlandês foi além ao cravar 1min16s674. Stroll chegou a subir para segundo ao marcar 1min17s442, mas logo foi superado, ainda que em pequena margem, pela AlphaTauri de Kvyat.
 
Minutos depois, a Mercedes completou suas primeiras voltas rápidas da semana com os pneus macios (C4). Bottas não teve dificuldades para cravar 1min16s417 e ampliar sua vantagem na ponta da tabela. A Renault também passou a usar os compostos macios, que foram determinantes para Ocon subir para segundo ao registrar 1min17s102. Até que o treino foi novamente interrompido: Nicholas Latifi enfrentou a primeira quebra da Williams em 2020 e teve de encostar o carro pouco antes da entrada do pit-lane. O canadense também teve problemas no motor. Foi a segunda bandeira vermelha do dia.
Nicholas Latifi também enfrentou problemas nesta manhã (Foto: Williams)

A interrupção durou pouco tempo. Quando a luz verde foi novamente acionada, a Mercedes mandou Bottas para a pista com os pneus mais macios da sua gama, o C5. Sem problemas, o nórdico cravou 1min15s732. A título de comparação, o tempo da pole do GP da Espanha do ano passado, registrado também por Valtteri, foi de 1min15s406. A equipe hexacampeã encerrou os trabalhos da manhã com mais uma evidência de que sua hegemonia na F1 caminha para mais um ano em 2020.

F1 2020, Barcelona, pré-temporada, dia 3:

1 V BOTTAS Mercedes 1:15.732   65
2 E OCON Renault 1:17.102 +1.370 76
3 L STROLL Racing Point Mercedes 1:17.338 +1.606 52
4 D KVYAT AlphaTauri Honda 1:17.427 +1.695 62
5 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:17.636 +1.904 86
6 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:18.035 +2.303 65
7 C SAINZ JR McLaren Renault 1:18.274 +2.542 76
8 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:18.380 +2.648 48
9 S VETTEL Ferrari 1:18.384 +2.652 40
10 N LATIFI Williams Mercedes 1:19.004 +3.272 44
 
Paddockast #49
RAÍ CALDATO: O ARTISTA PREFERIDO DE LEWIS HAMILTON

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube