Bottas fecha na frente treino livre 1 na Itália. Atrás até de Nissany, Vettel é penúltimo

O fim de semana de Fórmula 1 em Monza começou com Valtteri Bottas sendo 0s245 mais rápido que Lewis Hamilton, Max Verstappen provocando bandeira vermelha e a Ferrari de Sebastian Vettel, mesmo com pneus médios, sendo mais lenta que a Williams de Roy Nissany

A Fórmula 1 abriu o fim de semana do GP da Itália, uma das mais tradicionais etapas da temporada, nesta sexta-feira (4) no lendário circuito de Monza. Na pista, deu a lógica: a Mercedes foi a mais rápida, desta vez com Valtteri Bottas, com 1min20s703. Lewis Hamilton completou o 1-2 dos carros pretos ao terminar 0s245 atrás do companheiro de equipe. Destaque para Alexander Albon, da Red Bull, que cravou o terceiro melhor tempo da manhã.

Max Verstappen, que habitualmente termina atrás das Mercedes nos treinos livres, desta vez foi apenas o quinto, atrás até do surpreendente Daniil Kvyat, da AlphaTauri. O holandês provocou uma bandeira vermelha na primeira metade da sessão ao escapar na saída da Variante Ascari e chocar a asa dianteira contra a barreira de proteção. Incidente sem maiores problemas para o piloto. Pierre Gasly, com a outra AlphaTauri e em grande fase, foi o sexto, seguido pela Racing Point de Sergio Pérez. Lando Norris, com a McLaren, foi o oitavo após ter igualado o tempo de Pérez, 1min21s747, terminou à frente da Renault de Daniel Ricciardo e da outra McLaren, de Carlos Sainz, o décimo.

F1; FÓRMULA 1; VALTTERI BOTTAS; MERCEDES; GP DA ITÁLIA; TL1; SEXTA-FEIRA;
Valtteri Bottas foi o mais rápido no treino livre 1 do GP da Itália de F1 (Foto: Mercedes)

E a julgar pelo que foi a manhã em Monza, não seria exagero imaginar outro vexame da Ferrari. Vale lembrar que Charles Leclerc e Sebastian Vettel não usaram pneus macios, preferindo completar a maior parte das voltas com os compostos médios. O monegasco foi o 11º mais rápido, enquanto o tetracampeão do mundo terminou a sessão em 19º e penúltimo, atrás até mesmo da Williams de Roy Nissany, que acelerou no TL1 no lugar de George Russell. Este é o fim de semana do GP 999 da história da escuderia mais longeva da Fórmula 1.

O segundo treino livre do GP da Itália está marcado para 10h (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Saiba como foi o treino livre 1 do GP da Itália de F1

No último fim de semana da família Williams no comando da equipe que fez história na Fórmula 1, a novidade foi a presença de Roy Nissany no cockpit de George Russell para o primeiro treino livre em Monza. De restante, tudo normal, com muito sol, 23ºC de temperatura ambiente e 32ºC no asfalto.

A gama de pneus escolhida pela Pirelli para o GP da Itália é a mesma do fim de semana passado em Spa-Francorchamps, na Bélgica: C2, C3 e C4 como compostos duros, médios e macios, respectivamente.

A grande questão era saber sobre como seria o desempenho da Ferrari, dona da casa e que atravessa enorme crise, agravada ainda mais pela jornada pífia da semana passada. Este é o último GP da Itália de Sebastian Vettel como piloto da escuderia italiana, que faz em Monza sua corrida 999 na história da F1.

F1; LANDO NORRIS; MCLAREN; GP DA ITÁLIA; MONZA; TL1; TREINO LIVRE 1; SEXTA-FEIRA;
Lando Norris acelera neste fim de semana com uma pintura sugestiva (Foto: Reprodução)

Lando Norris, com uma pintura de capacete divertida e que faz menção às pizzas italianas, puxou a fila dos pilotos que fizeram as chamadas voltas de instalação e checagem das condições do carro e da pista. Logo, todos voltaram para os boxes e iniciaram um período de silêncio que durou quase 20 minutos. Silêncio que foi quebrado pela Red Bull de Alexander Albon.

O anglo-tailandês virou 1min24s088 na sua primeira passagem. Tempo que foi superado logo em seguida pela Alfa Romeo de Kimi Räikkönen, que fez suas primeiras voltas com pneus duros, contra os médios de Albon. Depois de Esteban Ocon, com uma Renault que promete lutar pelas primeiras posições, subir para a ponta, o piloto da Red Bull retomou a dianteira com 1min22s280.

Não demorou muito tempo para que a Mercedes mandasse seus pilotos para a pista. Nas primeiras voltas, Bottas acelerou com os pneus médios, enquanto Hamilton optou por trabalhar com os compostos duros. Só que foi a Red Bull quem seguiu na frente, com direito a 1-2: Albon em primeiro, Max Verstappen em segundo após 30 minutos de sessão.

Contudo, pouco depois, Lewis Hamilton anotou 1min21s676 e subiu para a liderança. Verstappen aparecia em segundo, enquanto Ricciardo era o terceiro. Bottas, que havia excedido os limites de pista na Curva Grande, perdeu o tempo que o colocava em P2, mas o finlandês encaixou outra boa volta e, com 1min21s657, assumiu a liderança.

Depois do 1-2 provisório da Mercedes, Verstappen perdeu o controle do carro na saída da Variante Ascari e bateu na barreira de proteção. Com o impacto, o bico do carro da Red Bull foi danificado. A direção acionou a bandeira vermelha, que durou alguns minutos. O holandês conseguiu voltar para os boxes, e foi então que os mecânicos iniciaram os trabalhos de reparo.

A bandeira vermelha atrapalhou a programação das equipes para a sequência da manhã em Monza. 15 minutos depois da paralisação, 37 para o fim da sessão, os carros voltaram à pista. Nesta metade final do treino, a maior parte dos pilotos começou a usar os pneus macios. Assim, naturalmente, os tempos melhoraram de maneira considerável. Mas houve quem optasse pelos médios, como a dupla da Ferrari. Charles Leclerc aparecia em P11, enquanto Sebastian Vettel era o 16º.

Em sua primeira passagem com os pneus macios, Bottas cravou 1min20s703 e se manteve na liderança da sessão. Hamilton não conseguiu bater o companheiro de equipe e virou tempo 0s245 mais lento. Albon aparecia em terceiro, seguido de maneira surpreendente pelas AlphaTauri de Daniil Kvyat e Pierre Gasly, enquanto Daniel Ricciardo era o sexto, mas o australiano tinha pneus médios.

F1; FÓRMULA 1; FERRARI; SEBASTIAN VETTEL; GP DA ITÁLIA; MONZA; TL1
Com pneus médios, Sebastian Vettel terminou atrás até de Roy Nissany (Foto: Ferrari)

De volta à pista, mas com pneus macios, Verstappen subiu para quinto após sua primeira volta rápida após bater minutos atrás. O holandês era quase 1s mais lento que o tempo registrado por Bottas. Leclerc continuava em 11º, enquanto Vettel vinha em P19 e penúltimo. Os dois carros vermelhos até voltaram à pista com os pneus médios, mas trabalharam no fim da sessão em simulações de corrida. O que determinou as respectivas posições ao fim do treino.

Correndo em casa, a Ferrari tem pela frente mais um fim de semana difícil na F1. Em contrapartida, a Mercedes nada de braçada sem ter concorrentes.

Fórmula 1 2020, GP da Itália, Monza, treino livre 1:

1V BOTTASMercedes1:20.703 28
2L HAMILTONMercedes1:20.948+0.24527
3A ALBONRed Bull Honda1:21.500+0.79730
4D KVYATAlphaTauri Honda1:21.555+0.85231
5M VERSTAPPENRed Bull Honda1:21.641+0.93822
6P GASLYAlphaTauri Honda1:21.667+0.96427
7S PÉREZRacing Point Mercedes1:21.747+1.04425
8L NORRISMcLaren Renault1:21.747+1.04429
9D RICCIARDORenault1:21.789+1.08622
10C SAINZ JRMcLaren Renault1:21.821+1.11827
11C LECLERCFerrari1:21.904+1.20125
12E OCONRenault1:21.984+1.28128
13L STROLLRacing Point Mercedes1:22.131+1.42821
14R GROSJEANHaas Ferrari1:22.409+1.70620
15K MAGNUSSENHaas Ferrari1:22.422+1.71919
16A GIOVINAZZIAlfa Romeo Ferrari1:22.552+1.84924
17K RÄIKKÖNENAlfa Romeo Ferrari1:22.619+1.91627
18R NISSANYWilliams Mercedes1:22.826+2.12325
19S VETTELFerrari1:22.988+2.28524
20N LATIFIWilliams Mercedes1:23.120+2.41722
  Tempo 107%1:26.352+5.649 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube