Campeão do DTM, Wittmann se impressiona com potência na F1 e acaba teste com dores. Mas valeu a pena

O alemão Marco Wittmann, campeão do DTM, o principal campeonato de turismo do mundo, teve nesta quarta-feira seu primeiro teste em um carro de F1. Uma oportunidade “incrível”, mas que resultou em algumas dores

A estreia de Marco Wittmann em um carro de F1 terminou um tanto dolorida. Mas, quando se tem a chance de testar um carro na categoria máxima do automobilismo, não se pode reclamar.
 
O alemão de 25 anos andou com a Toro Rosso na quarta-feira (24) em Spielberg, na Áustria, como um prêmio dado a ele pela BMW pelo título do DTM na temporada passada.
Marco Wittmann testou o carro da Toro Rosso, com motor Renault, em Spielberg (Foto: Toro Rosso/Getty Images)
Para Wittmann, foi a realização de um sonho. “Meu primeiro dia de testes com um carro de F1 foi incrível”, declarou após a sessão.
 
Ele deu 158 voltas e fez o quarto melhor tempo do dia, 1min10s163. Este tempo faria dele o décimo colocado no grid de largada do GP da Áustria.
 
“Foi um ótimo dia, sem nenhum problema, e consegui dar muitas voltas. Então estou muito feliz”, admitiu.
 
“Meu pescoço está um pouco cansado, é um pouco doloroso. Mas, se você tem a chance de fazer um teste na F1, apenas faz, não fica reclamando de nenhuma dor, problemas ou qualquer outra coisa”, afirmou.
 
“Fiquei surpreso com a potencia do carro. É muito mais potente que o do DTM!”, acrescentou. “Estou muito feliz com o meu dia, espero que o time também esteja.”
 
Pular do DTM para a F1 não é algo inédito. Campeão do campeonato alemão em 2010, Paul di Resta estreou no Mundial em 2011. Um que está tentando seguir o mesmo caminho é Pascal Wehrlein, reserva da Mercedes, que andou com o carro prateado na terça e com a Force India na quarta nesta semana no Red Bull Ring.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube