Sainz diz que áreas de brita evitariam incidente entre Hamilton e Verstappen no Brasil

Carlos Sainz acredita que áreas de escape com brita fariam mais sentido em traçados como Interlagos, e evitariam que pilotos freassem muito tarde nas curvas em meio a disputas

VERSTAPPEN JOGOU CARRO SOBRE HAMILTON EM SP E MERECE PUNIÇÃO?

Durante a disputa do GP de São Paulo, no último domingo (14), Max Verstappen fez tudo o que estava ao seu alcance para impedir a ultrapassagem de Lewis Hamilton, claramente mais rápido durante a corrida. Na volta 48, o holandês fez um movimento polêmico: espalhou demais na curva 4, empurrando o inglês para fora da pista, local em que o piloto da Red Bull também foi parar até que os dois retornassem ao traçado. Enquanto ainda existe controvérsia sobre o lance, Carlos Sainz, hoje na Ferrari e antigo companheiro de Max, acredita ter a solução: brita.

“Pessoalmente, acho que esse problema seria resolvido com uma área de escape de brita na saída da curva 4”, explicou Sainz, que terminou o GP de São Paulo na sexta posição. “Acho que vocês também viram no começo, vários carros — incluindo os nossos — espalharam na curva quatro. Se tivesse uma área de brita, não teríamos ido lá”, acredita o espanhol.

Sainz argumenta que o problema deixaria de existir principalmente para os comissários, já que os pilotos seriam obrigados a frear mais cedo na Descida do Lago. Caso contrário, arriscariam parar nas caixas de brita, que representam um pesadelo, já que, na maioria das vezes, não é possível retornar à disputa.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Carlos Sainz teve mais uma atuação de destaque na corrida sprint do GP de São Paulo, chegando em terceiro lugar (Foto: AFP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“E ao invés disso virar um problema para os comissários, se for colocada uma área de escape de brita naquele local, não será um problema nem para os fiscais, nem para o Michael [Masi, diretor de provas da FIA], ou para Lewis, Max, ou algum outro de nós”, disse.

“Nós continuamos pedindo por áreas de brita”, adicionou. “E esperamos que, no futuro, especialmente em pistas como São Paulo, que não tem MotoGP, vejamos essas áreas, porque nunca iríamos frear tão tarde na curva 4”, encerrou.

A Fórmula 1 volta a acelerar já no próximo final de semana, com a disputa do GP do Catar agendada para acontecer entre os dias 19 e 21 de novembro, no Circuito de Losail, que fará sua estreia no calendário da categoria.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar