Sainz dá cartão de visitas para Red Bull e lidera 2º dia de testes da Fórmula 1 no Bahrein

Após o assustador domínio da Red Bull no começo dos testes da Fórmula 1 no Bahrein, Carlos Sainz dominou o segundo dia de atividades

Sem Max Verstappen na pista, a Red Bull passou longe do domínio retumbante da estreia. Nesta quinta-feira (22), segundo dia de testes coletivos da Fórmula 1 no Bahrein, foi a vez de Carlos Sainz aniquilar a concorrência e colocar a Ferrari no topo da tabela de tempos.

O dia teve muito drama pela manhã, após uma tampa de bueiro se soltar ao entrar em contato com os carros de Charles Leclerc e Lewis Hamilton. Após longa interrupção, a atividade foi encerrada com somente 2h20min de tempo de pista. Com isso, a sessão da tarde ganhou uma hora e dez minutos além das 4h que já teria. E transcorreu sem grande dor de cabeça.

Relacionadas


Leclerc começou pela Ferrari, para não andar tão menos tempo na comparação com Sainz, e ficou 30 minutos exatos. A partir do mundo em que entrou no traçado, Carlos mostrou que chegara para triturar e bateu o tempo da liderança várias vezes. No fim das contas, ficou com 1min29s921, 0s4 mais veloz que o tempo marcado por Verstappen para liderar a quarta-feira. Seria suficiente para o terceiro lugar do grid de largada no GP do Bahrein de 2023. Ainda que, é verdade, com os pneus C4, da gama macia, enquanto os rivais próximos anotaram tempo no C3.

Verstappen, aliás, não foi à pista. Iria na parte da tarde, mas os problemas da manhã fizeram com que a Red Bull mudasse os planos e devolvesse o mexicano à pista. Pérez ficou na segunda colocação, mas 0s758 atrás de Sainz.

Lewis Hamilton foi terceiro colocado, enquanto Lando Norris ficou em quarto. Os quatro fizeram tempos bom o bastante para liderar a quarta-feira. Daniel Ricciardo, Leclerc, Lance Stroll, Esteban Ocon, Valtteri Bottas e Oscar Piastri finalizaram o top-10.

Carlos Sainz durante o primeiro dia de testes no Bahrein (Foto: Ferrari)

Confira como foi a tarde do 2º dia de testes:

O relógio marcava apenas 8h (Brasília, GMT-3), horário em que a sessão da manhã deveria terminar e abrir o espaço de umahora para almoço e ajustes antes do recomeço às 9h, mas a confusão da manhã abriu caminho para que a sessão vespertina fosse adiantada em uma hora no Bahrein. A bagunça foi causada por uma tampa solta de bueiro, que se levantou após contato com os carros de Charles Leclerc e Lewis Hamilton. A situação fez com que a sessão fosse encerrada após, na prática, somente 2 horas e 20 minutos de atividade.

Com isso, não apenas o começo da tarde foi adiantado, mas a sessão foi aumentada. Em vez das quatro horas originalmente programadas, teria cinco horas e mais dez minutos no fim, esses com a intenção de um teste para o sistema do safety-car.

A temperatura aumentara um pouco desde o começo da sessão da manhã, mas era a mesma que a do momento da interrupção: 24°C ambiente 37°C no asfalto.

Já que a sessão acabou menor que o esperado, as equipes também mudaram de planos na escala. Na Red Bull, Sergio Pérez entregaria o carro para Max Verstappen, mas não entregou: ficou ele para o restante do dia; na Ferrari, Leclerc andaria mais meia hora antes de passar o volante para Carlos Sainz. Lewis Hamilton continuava na Mercedes, bem como Logan Sargeant na Williams. Daí em diante, as trocas naturais: Lando Norris, Lance Stroll, Esteban Ocon, Daniel Ricciardo, Kevin Magnussen e Valtteri Bottas iam para a pista.

Com bandeira verde, Leclerc saiu logo, mostrando que o assoalho do carro estava recuperado após o incidente com o bueiro. Pérez, que andou pouco pela manhã também por conta de um pequeno incêndio no freio dianteiro, saiu em seguida. Demorou mais que pela manhã, mas os pilotos foram entrando na pista ao longo dos primeiros 20 minutos.

Apesar de todo mundo registrar voltas, ninguém estava muito interessado em testar desempenho. A situação era a mesma do dia anterior: a primeira metade da sessão vespertina seria mais devagar pelo calor, porque a segunda parte aconteceria já com o sol escapando e as temperaturas mais aprazíveis para acelerar.

Conforme o programado na Ferrari, Leclerc foi embora depois de 30 minutos e entregou o carro a Sainz. O monegasco deixava o dia com a liderança na tabela de tempos: 1min31s750, cravado pela manhã. Além de Sainz, Stroll era o único a chegar a este ponto sem volta rápida, mas o canadense não apresentava problemas. Até chegou a ensaiar uma volta rápida antes de voltar aos boxes.

Pérez finalmente deslanchava: com menos de uma hora na tarde, superava aos 20 voltas dada pela manhã. Mas usava os pneus C2 e claramente estava em simulação de corrida. Algo replicado por Magnussen, com uma Haas que fazia, como maior objetivo dos testes até o momento, simulações para ver como fazer os pneus se desgastarem menos. É, aliás, o grande objetivo da equipe para o começo de temporada.

Pouca gente furava o bloco dos dez primeiros na hora inicial. Ricciardo e Stroll conseguiram, mas não era a regra. Já na segunda hora da sessão é que as coisas esquentaram mais. Hamilton fez a melhor volta dele e chegou ao segundo lugar, mas logo foi empurrado para baixo. Sainz tomou o segundo posto, enquanto Norris pegou o terceiro e Stroll o quarto. A tabela evoluia.

Mas e os erros? Ninguém ou tinha problemas até então, e o único desagravo veio quando Ocon travou as rodas e foi para a área de escape da curva um, mas sem consequências. Enquanto isso, Pérez ficou na pista por cerca de 1h30min e emendou 59 voltas. Sem drama algum pela falta de quilometragem da manhã.

Pouco antes do relógio anotar duas horas, uma volta voadora. Sainz, agora com pneus C4 — parte da gama usada apenas como macios em fins de semana de corrida — virou 1min31s397 e passou a liderar. Norris, que usava os C3, logo andou em 1min31s622 e superou a volta da manhã de Leclerc para subir ao segundo posto.

O azar foi de Pérez, que, depois de tantas voltas em simulação de corrida, preparava para uma simulação de classificação. Enquanto acertava, porém, perdeu potência e teve de levar o carro aos boxes.

Mas não era o fim da busca por voltas voadoras pelos lados da Ferrari. Quando Sainz trocou o jogo de pneus C4 antigo por um novo, conseguiu melhorar ainda mais e baixou para 1min30s686. Agora, sim, aniquilando a volta da liderança de Verstappen no dia anterior (1min31s344). Cerca de 12 minutos depois, de novo! Sainz virou 1min30s424.

 Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
 Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

E Norris acompanhava o bastante para também superar a marca do tricampeão no dia anterior e virar 1min31s1. Além dos dois, o restante dos pilotos na pista faziam simulações de corrida.

Sainz não parava. De maneira impressionante, o espanhol fez o relógio cair da marca de 1min30s ao cravar 1min29s921. O tempo seria suficiente para a terceira posição no grid de largada do GP do Bahrein de 2023.

Na virada da segunda para a terceira hora de sessão, o sol começou a se esconder de verdade e a temperatura do asfalto já caía cerca de 6°C. Sainz liderava com 1s3 de vantagem para Norris, enquanto Pérez, Leclerc, Stroll, Bottas, Hamilton, Piastri, Sargeant e Alonso formavam o top-10.

Pérez já completava 100 voltas após acelerar um pouco mais e anotar o terceiro tempo. Hamilton, com 98, e Sargeant, com 89, acompanhavam de perto a quilometragem. Mas a RB era a equipe que mais voltas dera: Tsunoda ficou com 40 pela manhã, enquanto Ricciardo já somava 62 na marca de 3h20min de atividade.

Diferente da quarta-feira, as voltas não despencavam de vez, ainda que quase todos os pilotos melhorassem os tempos próprios. Era, sem dúvidas, uma tarde mais voltada aos testes de longos stints. Tinha até ultrapassagem de teste, como Pérez fez para cima de Bottas.

E também tinha gente travando os pneus e passando fora da pista, caso de Sargeant, na curva dez, e Hamilton, na oito. Em nota positiva, os dois cruzavam a marca centenária de voltas. O último movimento antes da marca das quatro horas foi Ocon colocando a Alpine no top-10.

Depois de ser deixado para trás por Pérez, Bottas tentou fazer o mesmo contra Stroll. Mas o piloto da Aston Martin não foi tão dócil e segurou a posição num primeiro momento após o mergulho do finlandês na curva quatro. Mas Bottas insistiu e passou. O líder Sainz estava fora disso e entrava na hora final da atividade na maior paz, em ritmo de corrida com pneus da gama mais dura, os C2. A transmissão permitia ver, porém, um quique do carro na reta dos boxes.

Pérez, inclusive, voltava com parafina no assoalho do carro para a hora final. As grelhas sempre são usadas mais pela manhã, mas a parafina ainda foi bastante usada no turno vespertino. E, apesar disso, ‘Checo’ logo se lançou ao terceiro lugar ao melhorar a volta.

Sergio Pérez mostrou que a Red Bull vem forte em ritmo de corrida (Foto: Red Bull Content Pool)

Na McLaren, o time de mecânicos mexia no carro de Norris para lá e para cá. Embora não tratasse oficialmente qual a questão, havia um problema.

Mas os pilotos definiram que os 50 minutos finais seriam de happy hour. Hamilton embarcou nessa e, de pneus C3, desbancou Norris na segunda colocação. Ricciardo colocou C4 novos e pulou para a quinta colocação do dia, enquanto Ocon ia para oitavo.

Com 38 minutos restantes, Pérez resolveu voltar de pneus C3 novos para a pista. E até apertou o passo para pular para o segundo lugar, mas nada além disso.

Assim como havia sido combinado, a direção de prova acionou o safety-car virtual e a bandeira vermelha apareceu a 12 minutos do fim. Em seguida, com a permissão dada, os carros alinharam na saída dos boxes e partiram para a reta principal, onde iniciaram uma simulação de corrida. Foi assim que o relógio chegou ao fim.

F1 2024, Testes de Pré-Temporada, Bahrein, Dia 2:

1C SAINZFerrari1:29.921 84
2S PÉREZRed Bull RBPT1:30.679+0.758129
3L HAMILTONMercedes1:31.066+1.145123
4L NORRISMcLaren Mercedes1:31.256+1.33552
5D RICCIARDORB RBPT1:31.361+1.44088
6C LECLERCFerrari1:31.750+1.82954
7L STROLLAston Martin Mercedes1:32.029+2.10896
8E OCONAlpine1:32.061+2.14078
9V BOTTASSauber Ferrari1:32.227+2.30697
10O PIASTRIMcLaren Mercedes1:32.328+2.40735
11L SARGEANTWilliams Mercedes1:32.578+2.657117
12F ALONSOAston Martin Mercedes1:33.053+3.13231
13G ZHOUSauber Ferrari1:33.715+3.79438
14P GASLYAlpine1:33.804+3.88333
15K MAGNUSSENHaas Ferrari1:36.611+6.69093
16N HÜLKENBERGHaas Ferrari1:37.509+7.58831
17Y TSUNODARB RBPT1:38.074+8.15340
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.