CEO vê Ferrari “no buraco” e já projeta temporada difícil também em 2021

Louis Camilleri, diretor-executivo da Ferrari, é realista a respeito das dificuldades na Fórmula 1. O dirigente diz que “não há mágica” e que a grande esperança de reação é só em 2022

2020 já é quase um ano perdido para a Ferrari, e 2021 provavelmente será também. Louis Camilleri, diretor-executivo da montadora, foi realista ao abordar a tão aguardada reação na Fórmula 1: com mudança de regulamento prevista apenas para 2022 e a Ferrari ‘no buraco’, o negócio é apenas mitigar problemas no projeto atual até lá.

Camilleri até acredita que a equipe pode melhorar um pouco em 2021, mas é só o ‘reset’ de 2022 que traz maior esperança. O dirigente não poupa palavras ao analisar a situação difícil em Maranello.

“Olha, nós estamos em um buraco agora”, disse Camilleri, que visitou Mugello no milésimo GP da Ferrari na F1. “Nós sabemos que estamos em um buraco. É uma confluência de fatores, mas qualquer coisa que eu diga vai parecer desculpa, e não queremos usar desculpas. O que importa é focar nos problemas que temos e trabalhar pesado para voltar ao que consideramos ser nosso lugar”, seguiu.

A Ferrari é realista a respeito de 2021 (Foto: Ferrari)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Sendo realista, será difícil. Você sempre luta contra o tempo na Fórmula 1, tanto na pista quanto no desenvolvimento, e não há mágica. Vai levar tempo. Espero que, com um pouco mais de flexibilidade no regulamento do ano que vem, a gente consiga pelo menos ficar um pouco acima de onde estamos agora. Tiramos nosso chapéu para a Mercedes, que faz um trabalho incrível. Veremos se o regulamento de 2022 serve como um reset. É nossa esperança”, destacou.

Uma SF1000 repleta de pontos fracos impede Charles Leclerc e Sebastian Vettel de competir no nível esperado. Mesmo com o monegasco tirando leite de pedra e conseguindo dois pódios, a equipe está apenas em sexto no Mundial de Construtores. 1980 foi o último ano em que a Ferrari não ficou entre as cinco melhores equipes.

As dificuldades ficaram ainda mais claras no fim de semana em Mugello. O GP da Toscana teve apenas 12 carros vendo a bandeira quadriculada, mas nem isso ajudou a Ferrari: Leclerc foi oitavo, com Vettel em décimo.

Se 2021 ainda não permite grandes mudanças nos carros, resta à Ferrari mexer outras peças. A equipe decidiu não manter Vettel, trazendo Carlos Sainz Jr. O alemão já foi confirmado na Racing Point, futura Aston Martin.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube