Leclerc admite confusão sobre momento para pit-stop na Turquia: “Sem arrependimentos”

Charles Leclerc chegou a liderar a corrida e, por breves voltas, deu a sensação que podia ganhar. Mas as coisas deram errado para ele e a Ferrari

F1 NA TURQUIA: TUDO SOBRE A CORRIDA EM ISTAMBUL | Briefing

Mesmo com a Mercedes em ritmo forte e Max Verstappen à espera de um milagre totalmente isolado na segunda colocação, houve uma pequena janela de algumas voltas em que deu para acreditar que Charles Leclerc poderia vencer o GP da Turquia deste domingo (10). Durou pouco. Após vislumbrar uma corrida sem pit-stop, acabou caindo frente a Valtteri Bottas, parou e terminou em quarto. As coisas deram errado, mas desta vez o monegasco culpou apenas as circunstâncias.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Leclerc admitiu que houve certa confusão. Após os primeiros colocados pararem, o #16 ficou na frente com cerca de 6s de vantagem e andando em ritmo bastante razoável na relação para Bottas, que tinha pneus novos. Chegou a perguntar se podia chegar ao fim da corrida com aqueles pneus quando faltavam 18 voltas. Bottas, porém, fez os pneus esquentarem, algo que estava demorando a acontecer por conta do clima turco, e varreu Charles do mapa. Aí, parou.

“Foi meio estranho. Creio que foi o mesmo para todos. Foi o que nos confundiu um pouco na hora do pit-stop. Eu estava com pneus usados e escutei quando como estavam as voltas de Valtteri atrás de mim, e ele não estava rápido no começo. Pensei que poderia ficar na frente dele, mas nas sete voltas seguintes tivemos muitas dificuldades com o desgaste. Quando começa a esfarelar muito, perdemos muito tempo”, avaliou.

MAX VERSTAPPEN; CHARLES LECLERC; GP DA TURQUIA;
Charles Leclerc terminou atrás das duas Red Bull (Foto: Dan Mullan/Getty Images/Red Bull Content Pool)
Paddockast #124: Quem é favorito em cada pista que resta na F1 2021?

“Quando isso aconteceu, sabíamos que teríamos de parar. Então, paramos, mas era tarde demais e eu fiquei fazendo os pneus intermediários funcionarem nas últimas dez voltas. Nunca aconteceu. Perdemos o pódio”, contou.

Depois, nas voltas finais, foi ele quem teve problemas para esquentar os pneus. Acabou ultrapassado por Sergio Pérez e terminou na quarta colocação.

“Não me arrependo de nada, porque a comunicação na Rússia não estava ótima, mas hoje estava ótima e me passaram o panorama claro da corrida. Só não se pagou no fim. Normalmente, tentamos nos convencer uma parte a outra e acabamos achando um denominador comum com o que pensamos ser o certo. Então, sem arrependimentos”, finalizou.

A Fórmula 1 volta agora em duas semanas, nos dias 22-24 de outubro, em Austin, com o GP dos Estados Unidos.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar