F1

Chefão da F1, Ecclestone diz que Prost foi melhor que Senna e Schumacher: “Nunca teve privilégios”

Bernie Ecclestone apontou Alain Prost, tetracampeão mundial de F1, como o melhor piloto de todos os tempos, acima de Ayrton Senna e Michael Schumacher. Na visão do chefe supremo do esporte, o francês não teve os privilégios dos seus pares
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Em Portugal, Prost comemora seu quarto título mundial de F1 - 1993 (Foto: LAT Photographic)

Bernie Ecclestone apontou quem considera o melhor piloto de todos os tempos da F1: Juan Manuel Fangio foi ignorado; Ayrton Senna e Michael Schumacher até foram citados, mas o chefe supremo do esporte não teve dúvidas em apontar outro multicampeão como o melhor da história: Alain Prost, dono de quatro títulos em sua carreira.
 
“É difícil dizer, mas se tenho de escolher alguém ao longo dos anos, eu provavelmente diria que é Prost”, afirmou Ecclestone em entrevista concedida a Eddie Jordan para o site do programa britânico ‘Top Gear’.
Bernie Ecclestone diz que Alain Prost foi melhor que Ayrton Senna e Michael Schumacher (Foto: Getty Images)
Na visão de Bernie, Prost não teve em seu favor os privilégios dos seus pares. Ecclestone entende que Schumacher, o maior campeão da história, foi beneficiado por ter ao seu lado, nos tempos de Benetton e Ferrari, a equipe trabalhando por ele e também por contar com escudeiros como companheiros de equipe.
 
Com Senna, Ecclestone acredita que a situação é um pouco semelhante a Schumacher. Para o chefão da F1, Prost “sempre teve rivais na própria equipe”. 
 
“Prost foi melhor que Schumacher ou Senna. Michael tinha muita coisa em seu favor: a equipe, um companheiro que trabalha por ele... Em um certo momento, aconteceu o mesmo com Senna; no entanto, Prost nunca teve esse tipo de privilégios. Sempre teve rivais em sua própria equipe”, comentou o britânico.
 

Na carreira de Prost, o último dos títulos conquistados, em 1993, foi alcançado pela Williams, que era a equipe que dominava a F1 no começo da década. Ao seu lado, o ‘Professor’ contava com Damon Hill como companheiro de equipe. O piloto, depois de ter feito algumas corridas pela extinta Brabham no ano anterior, fez sua primeira temporada completa na F1 em 1993.

Prost vetou a contratação de Senna pela Williams em 1993. Por tal motivo, o brasileiro chamou seu grande rival de "covarde". Um ano depois, com a aposentadoria definitiva do francês, Senna enfim assumiu o cockpit da Williams, mas apenas por três corridas.
 
Questionado sobre seu piloto favorito, Ecclestone apontou Jochen Rindt, dono do título mundial em 1970 e o único campeão póstumo da história da F1. “Éramos muito próximos, companheiros e, inclusive, amigos. Sem dúvida é meu favorito, mas não o melhor de todos os tempos. Esse é Prost”, concluiu.


 
PADDOCK GP #45 COMENTA FIM DE SEMANA COM F1, INDY, MOTOGP E WEC