Chefe-adjunto da Force India critica Grupo de Estratégia e dispara: “Os quatro times de fábrica estão controlando a F1”

Chefe-adjunto da Force India, Bob Fernley criticou o momento atual da F1 e afirmou que os times de fábrica não estão preocupados com o que acontece com as demais equipes. Dirigente avaliou que a situação atual reflete as decisões tomadas pelo Grupo de Estratégia

Chefe-adjunto da Force India, Bob Fernley avaliou que o grid vazio do GP da Austrália deveria servir de alerta para a F1. Na prova de estreia da temporada 2015, apenas 15 carros iniciaram a disputa em Melbourne.
 
Na visão do dirigente, Ferrari, Mercedes, McLaren e Red Bull são diretamente responsáveis pelo atual momento do campeonato, já que são peças chave no Grupo de Estratégia da F1.
Bob Fernley criticou o Grupo de Estratégia da F1 (Foto: Getty Images)
“Acho que nós ainda temos de focar nos fundamentos”, disse Fernley em entrevista à publicação britânica ‘Motorsport.com’. “Nós precisamos colocar a F1 em uma posição que seja sustentável para todos os times e não só para quatro times de fábrica”, defendeu.
 
“Nós estamos vendo uma situação onde até mesmo a Red Bull está reagindo, porque eles querem ver um programa um pouco diferente. A oportunidade deveria ter aparecido há muito tempo”, opinou. “Nós precisávamos entrar em tal crise antes de alguém reagir?”, questionou.
 
 De acordo com Fernley, os times de fábrica não estão preocupados com as dificuldades enfrentadas pelas equipes de fábrica. O dirigente citou a proposta da Red Bull de banir o uso do túnel de vento e contou que o próprio time dos energéticos vetou essa opção em duas oportunidades. 
 
“Os quatro times de fábrica não estão minimamente interessados no que acontece com os outros times. Na Austrália, a Red Bull mudou sua posição e, talvez, isso tenha uma influência no futuro”, avaliou. “E eles também sugeriram banir o túnel de vento. A Red Bull votou duas vezes contra isso e agora, de repente, nós estamos vendo isso”, comentou.
 
“O problema básico é que os quatro times de fábrica estão controlando a F1, eles não estão minimamente interessados no que acontece com mais ninguém e eles acham que podem fazer o show com ou sem os outros”, opinou. “E acho que estamos começando a ver um pouco do dano que foi causado pela decisão do Grupo de Estratégia”, seguiu. 
 
“Muito da nossa situação de hoje vem desde que o Grupo de Estratégia foi montado, porque não há mais equilíbrio — são só o quatro times de fábrica ditando o que acontece na F1”, criticou. “Isso é uma coisa sobre a qual nós falamos bastante por dois anos. Eu não quero dizer ‘eu bem que avisei’, porque quero ser construtivo. Certamente, precisamos olhar para isso”, completou.
ISQUEIRINHO

A FIA divulgou a lista de coletivas do fim de semana do GP da Malásia e vai opor as parceiras em estado de guerra. Cyril Abiteboul, diretor da Renault, e Christian Horner, da Red Bull, vão estar na sala de coletiva/ringue na sexta-feira para o segundo assalto da F1 2015. Depois das trocas de farpas, o clima esquentou tanto que Abiteboul divulgou uma foto de um par de luvas de boxe que está levando para Sepang. Coisas de uma categoria mais agitada fora das pistas…

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube