Chefe da Ferrari crê que Canadá escondeu fraquezas do carro e pede trabalho forte para desafiar Mercedes

Mattia Binotto comentou que as características da pista de Montreal ajudaram no desempenho da Ferrari, que teve dois pilotos no pódio pela primeira vez desde o GP do México de 2018. Porém, o chefe de equipe acredita que o carro ainda apresenta fraquezas

Após ver a Mercedes disparar no campeonato, a Ferrari teve um momento de respiro no GP do Canadá, com pole-position e dois pilotos no pódio. A vitória só não ficou com Sebastian Vettel por conta de uma punição de 5s, que entregou o triunfo nas mãos de Lewis Hamilton. Para o chefe Mattia Binotto, ainda não é um sinal de recuperação dos italianos.
 
Binotto comentou que as características do circuito de Montreal, que tem longas retas e curvas de alta velocidade, favoreceu o carro da Ferrari, em cenário parecido com o GP do Bahrein, quando o time viu Charles Leclerc fazer a pole, mas amargar o terceiro lugar com problemas de motor.
 
"Sabemos que é um circuito que explora mais a potência, e com impacto maior na traseira, não na parte dianteira como em Barcelona. É um circuito mais parecido com o do Bahrein do que Barcelona. Sabíamos que vindo aqui, estaríamos próximos da Mercedes, mas não tinha pistas do quão próximo”, declarou o chefe de equipe.
Sebastian Vettel (Foto: AFP)
Mesmo com um bom desempenho da SF90 no Canadá, o chefe revelou que o carro ainda apresenta as mesmas dificuldades anteriores, já que não passa por atualizações desde o GP da Espanha.
 
"Eu acho que a performance da sexta em comparação foi mais difícil, e a melhora da pista com o avanço no fim de semana, com mais aderência, cobriu nossas fraquezas. O carro é o mesmo da Espanha, sem atualizações, vamos dizer que ainda temos nossas fraquezas, simples assim. Precisamos trabalhar para melhorar, porque teremos outras corridas que não serão o Canadá. Precisamos lutar e desafiá-los", declarou.
 
A Fórmula 1 retorna no dia 23, com o GP da França, em Paul Ricard. A Ferrari é a segunda colocada no Mundial de Construtores, com Sebastian Vettel em terceiro e Charles Leclerc na quinta posição entre os pilotos.
 

 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar