Chefe da Ferrari diminui primeiros resultados na China e vê Mercedes como “equipe mais forte dos últimos dez anos”

O chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene, não mostrou muito otimismo de que vai bater a Mercedes neste ano. Pelo contrário, encheu de elogios os rivais, a quem classificou como melhor time do Mundial de F1 na última década

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Ferrari dominou o segundo treino livre e saiu desta sexta-feira (15) como a equipe mais forte em Xangai. Apesar disso, a posição do time de Maranello ainda é de inferioridade em relação aos rivais da Mercedes. Para o chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene, a Mercedes deste ano é o time mais dominante da F1 em muitos anos.

 
Mesmo depois de liderarem o TL2 na China, Kimi Räikkönen e Sebastian Vettel não mostraram muita animação. Arrivabene seguiu o mesmo caminho e encheu a rival de elogios. 
 
"Foi uma boa sexta-feira, mas infelizmente não te dá posições no grid ou pontos no campeonato. Então, bom começo, mas o final de semana é longo", disse. 
Maurizio Arrivabene e Toto Wolff  (Foto: Getty Images)
"Sobre as expectativas para a temporada, posso dizer que a Mercedes deste ano é a equipe mais forte que vi na última década. Estou por aqui há muito tempo e, para ganhar deles, você tem que ser melhor e melhor. Estamos fazendo o melhor para ter bons resultados", seguiu.
 
A declaração foi durante a entrevista coletiva dos chefes de equipe. Logo após a análise de Arrivabene, Toto Wolff respondeu trocando elogios.
 
"A Ferrari estão forçando bastante e deu para ver hoje como anda sua performance bruto e como seu desempenho nas últimas corridas. A Ferrari não conseguiu ajustar tudo ainda porque avançou muito de 2015 para 2016, assim como de 2014 para 2015, e precisa de tempo para ter o pacote funcionando perfeitamente e de forma confiante", falou o diretor-executivo da Mercedes. 
 
"Não é uma tarefa fácil, mas em termos de desempenho apenas eles estão nos empurrando. Isso é bom – é como a competição deveria ser", encerrou.
 
O treino de classificação começa às 4h (de Brasília) deste sábado.
PADDOCK GP #24 FALA SOBRE F1, MOTOGP, INDY E STOCK

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube